sábado, abril 05, 2008

A Insustentável leveza do Ser

Hoje estou triste.
Revoltado com a vida.
Revoltado com o destino.
Confesso que hesitei. Hesitei muito. O que tem um assunto particular que ser exposto? Mas a Ana não me perdoava que não continuasse a lutar.
Ela infelizmente acaba de perder esta guerra. Mas apenas perdeu a batalha de estar entre nós fisicamente, porque em espírito ela nunca nos desancompanhará.
É preciso que as pessoas saibam que ela lutou. Galhardamente. Mas não conseguiu nenhuma medula compatível,
E hoje...
Ana, fi-lo aqui, uma vez, pedi doadores e perguntei-te, fiz mal? não querias que te expusesse? a tua resposta foi:"obrigada, do fundo do coração. Expõe e expõe muito, porque pode não haver medula para mim, mas poderás salvar uma outra vida." Era assim a Ana. Boa, generosa, uma mãe e esposa exemplares.
É isso que eu estou a fazer, Ana. Para ti não chegou, mas eu, o teu filho, o teu bravo, heróico marido, os teus imensos, imensos amigos, vão continuar essa batalha por ti. Por todos os que precisam. Prometo!
Ana, estou desinspirado (e tu que escrevias tão bem!, e que fazias o favor de me ler sempre atentamente), doi-me a alma, mas vim aqui neste "nosso" espaço despedir-me de ti e explicar a todos que nos lerem que vão ao CEDACE, ao Hospital Curry Cabral fazer uma doação da medula (é indolor). Expliqeui tudo neste: (http://pauloedsonc.blogspot.com/2007/10/help-my-friend.html)
perdemos-te fisicamente, mas estarás sempre connosco.
Até sempre, Ana

11 comentários:

Anónimo disse...

Não conheci a Ana senão apenas por aquilo que escreveu e pela sua escrita adivinhava-se a pessoa magnifica que deveria ser.Também eu estou triste. Quero aqui prestar-lhe a minha homenagem. Não me esquecerei da Ana nem do que seriam os seus desejos para esta terra.

Ponto Verde disse...

Humildemente me associo ao seu pesar

Jorge Pieta disse...

A perca de um ente querido é sempre doloroso, é infinitamente proporcional ao amor que por ele nutrimos. Para combater esta dor só mesmo a memória de momentos inesqueciveis. Força :))

Anónimo disse...

Sera que estamos a falar da querida Ana G ???

Paulo Edson Cunha disse...

A todos agradeço os comentários.
Ao anónimo(a, quecomo não sei quem é, respondo que em princípio estaremos a falar da mesma Ana.
Caso queira estar presente o funeral é amanhã. Poderei dar-lhe indicações por e-mail.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Meu Querido Betinho,

Subscrevo, na ìntegra, as tuas verdadeiras e emocionantes palavras!

Como dizes "A Nossa Ana estará sempre connnosco".
Vamos sempre recordar o seu maravilhoso sorriso, a sua Força Única e a sua máxima de viver "O Lado Fixe da Vida".

Um Beijinho

Helena

Jorge Pieta disse...

O anónimo... por engano era Jorge Pieta.

:((

Anónimo disse...

Paulo, não o conheço mas sendo Amigo da Ana, senti necessidade de lhe escrever.

Tive a Felicidade de à 18 anos me ter cruzado com a Ana e desde então uma bonita e longa Amizade se instalou entre nós, apesar da distância.

Bondosa, Lutadora, Digna, Boa Mãe e Boa Esposa, Amiga, Sincera...È assim que a caracterizo.

Jamais esquecerei os momentos que passamos juntas e a última vez que estive contigo pouco antes de partires...

Por ti, também olharei para o lado fixe da vida!

Paulo Edson Cunha disse...

Boa tarde anónimo,
tenho tido um hábito de durante o dia apenas publicar os comentários e comentá-los à noite, mas confesso que ao ler o seu fiquei com uma curiosidade e abrirei uma excepção e escrevo já:
Se não nos conhecemos, como soube doo blogue, porque eu não falei deste post a quase ninguém (nem ao marido disse)?
Mas agradeço imenso este comentário e fico feliz que venha partilhar com terceiros a linda pessoa que era a Ana.
esteve no funeral ontem? aquilo que o padre disse, sobretudo sobre as últimas palavras delas foram muito comeventes.
Outra dúvida: Jorge Pieta, conhecia a Ana?

Anónimo disse...

Olá Paulo,

A perda desta amiga deixou-me melancólica e muito afectada. Não vivo em Lx e na sexta feira passada desloquei-me aí para passar a tarde com ela. Passei a semana a pedir a Deus para que pudesse vê-la com vida e ELE fez-me a vontade.

A Ana foi minha colega de faculdade e deste então grande AMIGA, estivemos grávidas juntas e partilhámos muitas coisas.

Hoje, para aliviar a minha dor estive a reler as suas crónicas e por acaso pesquisei na net através do nome dela, pois sabia que escrevia em vários sitios. Foi assim que descobri o seu Blog e o respectivo post.

Por questões profissionais não me foi possível estar no funeral, mas já sei que foi muito emocionado.

Silvia Ferreira

Irene disse...

Ana já tenho saudades tuas.