quarta-feira, abril 15, 2009

Dissertações - Comente para o «Comércio Seixal...»

Às vezes fico confuso. Confesso que quase acredito no que leio. Não que seja uma pessoa de convicções frágeis, mas porque fui educado para ser crédulo, acreditando no que os outros dizem, porque supostamente o fazem de boa fé.


Ora, depois de ler repetidamente que não sou uma pessoa do concelho, porque não moro no concelho, quase que me esqueço que residi no concelho desde 1979 até 1997, sendo que antes disso, residi também na sobreda em 1978 até julho de 1979.


Ou será que para essas mentes iluminadas Miratejo não é no concelho?


Acontece que para além de desde essa data ter morado em Miratejo, desde que acabei o curso, ou seja toda a minha vida útil activa sempre trabalhei no concelho do seixal (Torre da Marinha), e não foi por falta de opção, pois tenho igualmente um escritório em Odivelas, embora sempre tenha optado por exercer no Seixal, deslocando-me a Odivelas apenas residualmente.


Quando leio o que insistentemente pessoas afectas à CDU (e com responsabilidades) quase me esqueço que chego ao meu escritório por volta das 9h00 e que raramente saio antes das 20h.


Até me esqueço que tendo tantos lugares para estar inscrito no PSD, estou na Secção do Seixal desde que me inscrevi no PSD (fi-lo em Almada, mas mudei de imediato para o seixal...por opção!).


Mais, esqueço-me que já fui candidato a autarca em três mandatos (quatro anos cada) à Assembleia de Freguesia de Corroios, tendo sido eleito em duas (o que perfaz 12 anos, pasme-se!!!).


Esqueço-me que sou autarca da assembleia Municipal do Seixal neste último mandato (mais quatro anos) e que represento o PSD (e o Seixal) na Assembleia Metropolitana de Lisboa.


Esqueço-me que nunca faltei a uma Assembleia Municipal neste mandato e ao longo dos últimos mandatos apenas faltei uma vez por doença (e estou a falar de 3 mandatos como eleito local, ou seja, 12 anos).



Esqueço-me que apresento propostas, participo, não tenho por hábito faltar às reuniões das comissões de que faço parte e, pasme-se, todas elas se realizam no Seixal onde não vivo.


Esqueço-me até que no âmbito da política interna do meu partido, tenho uma reunião quinzenal (ordinária) e dezenas de reuniões de coordenação de grupos, todas elas...no Seixal.


Esqueço-me que muitas vezes chego ao seixal às 9h00 da manhã e saio já de madrugada, quando acabam, por exemplo as intermináveis Assembleias Municipais.


Esqueço-me até que sou o representante de um partido da oposição e a minha oposição (que por acaso é a situação, ou seja, o poder) põe-se a inventar propostas que eu nunca apresentei, mas curiosamente nunca refere aquelas que eu apresento e para as quais certamente não tem resposta.


É nessa altura que me lembro que por não terem resposta, por exemplo às propostas para fazer face à crise económica, às propostas ambientais, ás propostas na área da juventude, às propostas na área da segurança (Polícia Municipal), às propostas para fazer uma campanha multipartidária contra a abstenção, a mil e uma outras propostas, então nessa altura percebo que é mesmo melhor discutirmos onde eu moro, onde voto ou as propostas que nem sequer apresentei, pois essas como saem de umas cabeças assustadas, certamente têm resposta.


Mas a esses disparates, perdoem-me, mas não volto a responder.


E mais, lanço-lhes um desafio: critiquem construtivamente as propostas que aqui apresentei sobre como ajudar as famílias e as empresas do Seixal.


Expliquem porquê que a Câmara do Seixal foi uma das três únicas que não assinou o protocolo com Instituto de Emprego e Formação Profissional para a promoção do emprego?

Aliás, este protocolo está intimamente ligado às medidas que eu tenho sucessivamente incentivado a Câmara Municipal a promover com o IEFP, mas que esta Câmara, ao contrário de outras, tem preferido tomar outra atitude. Grandes preocupações sociais, demonstram estes camaradas...

Depois de me explicarem tudo isto, então vamos lá discutir as propostas que eu não apresentei, mas que até deveriam ser discutidas, o local onde eu moro (não percebo a quem isso possa interessar, mas...) e o local onde eu voto. isso deve melhorar em muito o debate eleitoral e a vida dos Seixalenses
Poderá comentar este tema, para ser publicado no "Comércio do Seixal e Sesimbra" ou pode, optar por comentar o texto que o meu colega de rubrica, amigo e adversário nas próximas eleições autárquicas vai publicar no blogue "Rumo a Bombordo" (Aqui).

16 comentários:

Anónimo disse...

O caso Freeport no Daily mail

http://www.dailymail.co.uk/news/article-1133106/Edward-Sophie-Portugals-PM--4m-corruption-row-giant-mall-built-British-firm.html

Maria disse...

Caro Paulo
permita-me que o trate assim, porque tenho seguido as suas posições e quase que o conheço pessoalmente.
Compreendo que venha aqui a explicar tudo isso, embora não concorde, porque na minha opinião, e repare, é apenas na minha, essas conversas sao apenas para disfarçar alguns receios que por aí andam.
Seria bonito se os candidatos só pudessem candidatar-se onde nascem. E que os eleitores só votassem na terra em que viveram durante a maior parte das suas vidas.
Parece que o conceito de real democracia ainda não entrou nestas cabecinhas, que têm tudo menos serem pensadoras.
Livrai-nos, senhores, destes Puristas da democracia!

Cumprimentos e muita sorte para a sua campanha e eleição.

Filipe disse...

Dr. Edson não tem nada haver com o tema mas acabei de ler no Seixal Sim que o PS pratucou uma nova fraude em Fernão Ferro, á imagem do que já tinha acontecido nos Bombeiros da Amora.

Anónimo disse...

Leiam o comentário da ANA em
http://www.joaosoares.net/main.asp

Inácia disse...

Fernão Ferro parece estar a ficar apetecível. Está a ser falado em todo o lado, a pena é ser por más razões.

Francisco disse...

Acho que uma pessoa que viveu durante anos num concelho, que aí estudou e aí trabalha, por vicissitudes da vida, passou a residir noutro concelho, não deixa de ser um homem da terra. É muito provavel que uma pessoa assim conheça muito melhor o meio do que por exemplo alguns residentes recentes que por variadas razões da vida optaram por viver na margem sul, ou noutro local do país. Nós somos da terra que nos acolhe, onde nos sentimos bem, com a qual nos identificamos, que nem sempre é a terra em que vivemos.

GATO GIL disse...

Embora o local de nascimento tenha a importância que tem, é bom lembrar a todos os que se preocupal com isso que nenhum dos candidatos da CDU nasceu no Seixal e alguns só vieram para cá há poucos anos.

Anónimo disse...

Paulo Cunha escreveu:
"quase que me esqueço que resido no concelho desde 1979". RESIDO é presente, será verdade que Paulo Cunha reside actualmente no concelho do Seixal? Ou será um "lapsus linguae" do Paulo Cunha em solidariedade com o Samuel? será que até nos "lapsus linguae" os candidatos da oposição são solidários? Como já alguém escreveu parecem mesmo irmãos siameses!
~Uma ultima questão, Porque razão a Câmara do Seixal teria de assinar o protocolo com o Instituto do Emprego? Acha V. Excª que a Câmara tem falta de funcionários e por isso deverá aumentar o quadro de pessoal?

Ponto Verde disse...

Esta questão levantada por eleitos CDU, não faz qualquer sentido num Portugal Europeu, receptor de imigrantes e num Concelho que desde o 25 de Abril aumentou de 30 mil para 170 mil habitantes cuja maioria não nasceu e nem sempre viveu no concelho.

Querer cercear direitos constitucionalmente inscritos não faz parte de uma cultura democrática , muito menos quando a maioria dos candidatos e eleitos CDU não se inscreve nessa "pureza" de princípios.

A questão trata-se de mera xenofobia politica e não só, e numa forma desesperada de manter um poder que parece escapar a cada dia que passa.

Jorge Pietta disse...

A verdade é que o partido no poder e aqueles que dele dependem tentam constantemente desviar as atenções e inventar mentiras sobre os temas importantes. Poderiamos passar aqui o dia a descrever o que se sabe. Contudo, penso que estas situações devem ser esclarecidas o mais urgente possível e, desmascaradas. Chega de farsas e mentiras.

Anónimo disse...

Sr. Filipe está convocado para comparecer na próxima assembleia dos bombeiros da Amora, para OUVIR e ESCLARECER as dúvidas sobre o processo eleitoral e apresentar a provas que tem em seu poder sobre as possíveis fraudes. A população da Amora agradece. Um grande bem haja para si!

Anónimo disse...

A Câmara Municipal tem falta de funcionários sim senhor, funcionários competentes, a competência não anda de mão dada com a cor partidária. Posto de Trabalho: Recursos Humanos; Perfil: Curso de Contabilidade??????

Paulo Edson Cunha disse...

Ao anónimo das 10:52, de 16 de abril, digo-lhe que de facto sinto-me igualmente a residir em Miratejo, onde vou diariamente, onde ainda recebo bastante correspondência e onde vive a minha família, no entanto, para não deixar dúvidas e satisfazer a sua vontade, alterei o texto.

Devo, contudo, dizer-lhe que em todo o texto deixo presente a minha situação (mas pelos vistos isso não lhe interessou nada), ao contrário do que indicia.

Gostaria que a sua curiosidade se centrasse nas questões que de facto interessam à população do seixal,mas sobre essas, já estamos habituados - assobiar para o ar ou colocar a cabeça debaixo da areia e tentar disparar em tudo o que mexe, a ver se resulta.
Não tem resultado! mas continue a tentar.

Maria Dias disse...

Está tudo explicado!
À falta de melhor argumento eis o resultado.
Não se preocupe Dr. Paulo Cunha, porque lá diz o povo sabiamente que quem desdenha quer comprar.

hkt disse...

Os comunistas no Seixal para não discutirem os problemas do concelho agarram-se a qualquer pretexto. Este é apenas, mais um.
A questão da naturalidade/residência dos candidatos é de um bairrismo bacoco que define bem o desespero dos spin-doctors do PCP/Seixal.

Deixemo-los falar sozinhos e concentremo-nos no que realmente interessa:
- Como salvar o que ainda resta do Seixal?
- Como garantir para o Seixal um desenvolvimento sustentado?
- Como melhorar a qualidade de vida dos que aqui vivem e/ou trabalham.
Sim, isto é que realmente importante!

Anónimo disse...

bom blog. Eu amo o seu post. Continue a fazer o bem.
Wholesale jewelry