segunda-feira, janeiro 10, 2011

"Era só o que faltava..!"

Há cerca de 3 anos era Presidente da Comissão Política da Secção do Seixal do PSD e líder da bancada na Assembleia Municipal e, para melhor conhecer a realidade da Câmara Municipal, dos seus trabalhadores, estruturas hierárquicas, instalações, etc, propusemo-nos a visitar toda essa estrutura. Fizemos o pedido através de um requerimento e face à ausência de resposta, fui eu próprio que coloquei a questão ao Sr. Presidente da Câmara Municipal em sede de Assembleia Municipal, que me deu uma resposta que resumi na seguinte frase: "Era só o que faltava..!"

A resposta não foi a esperada, por isso na altura (Maio de 2008)  assinei um artigo de opinião, nem me lembro bem em que jornal, que intitulei como " O Dono da Câmara" e que apenas vos traga à memória porque gosto de contextualizar tudo o que digo, escrevo ou registo. Aqui vai:

"Exmo. Senhor “Dono” da Câmara,

Permita-me tratá-lo desta forma, pois pelos vistos manda na Câmara. Pelo menos é o que se retira da sua resposta ao pedido de “Apreciação Municipal” onde V. Exa. em vez de responder ao requerimento apresentado pelo PSD Seixal, como manda a lei, respondeu com um conjunto de subterfúgios jurídicos, políticos e até de considerações pessoais, algumas delas pouco elegantes e edificantes (p. ex. quando proferiu que “eu queria era aproveitar para fiscalizar o trabalho dos Srs. Vereadores do PSD na “sua” Câmara Municipal”).

Mais, digo manda, porque deliberou, embora não saiba se no uso das suas competências pessoais, se através do órgão colegial “Câmara Municipal”. E não sei pelo simples motivo de que V. Exa. não se dignou responder ao nosso requerimento de 05 de Maio.

Como sou um crédulo e acredito na bondade dos actos de terceiros, confesso que sempre pensei que V. Exa. não tinha respondido pelo facto de ainda não ter analisado o documento, entre tantos que certamente lhe povoam a secretária, ou que até por algum lapso dos serviços o mesmo não teria chegado até a si, mas não, V. Exa. afinal sabia muito bem de todo o conteúdo do nosso requerimento, e sabia tão bem que quando nós, nos termos da competência que a lei nos faculta resolvemos colocar a questão à Assembleia Municipal, para n/ surpresa a resposta não veio da Assembleia Municipal, mas sim em discurso directo de V. Exa.

Afinal de contas, o que está em causa não é só uma falta de respeito por um partido que, pode não ter ganho as eleições autárquicas, mas representa muitos milhares de munícipes e, que mereciam mais respeito do Sr. Presidente da Câmara.

Mais, disse e reafirmou que “era o que mais faltava!!” e enquanto exercer esse cargo nós não faremos a visita (eu acrescento, enquanto V. Exa. for o dono da Câmara Municipal).

Mas Sr. Presidente, se essa é a condição para nós visitarmos a Câmara Municipal, então estou certo que a visitaremos para o próximo ano, pois a população do Seixal começa a ficar farta de autoritarismos de donos do que não é seu. A Câmara Municipal é um património de todos nós e decisões como a sua, não são mais do que meros espelhos da vossa insegurança e do medo do que é novo, do que pode alertar consciências, do que pode despertar os munícipes.

Será importante a população saber que o PSD/Seixal apenas queria fazer uma visita aos serviços da Câmara, não para fiscalizar (mas se fosse, não é esse o papel de uma oposição?) conforme V. Exa. temia e o disse, mas sim para numa atitude construtiva perceber melhor os serviços da Câmara, quais as reais necessidades dos Senhores Vereadores e funcionários, para juntar a sua voz na defesa intransigente da autarquia.

Se calhar V. Exa. ficaria surpreendido por constatar que se verificássemos insuficiências na Câmara, no seu modo de funcionamento e, as mesmas não derivassem de responsabilidade directa do seu executivo, nesse caso, juntaríamos a nossa voz à voz do executivo em defesa da autarquia. Não foi o que já fizemos no passado?

Não nos juntámos à população e ao executivo na defesa da construção do Hospital no Seixal ou do encerramento dos SAP´s?

Pois bem, “Sr. Dono da Câmara”, acredito que, com bom senso compreenda que, se “o que nós pretendemos nunca foi antes feito”, como referiu, esse facto não significa que não possa ser feito agora. Por acaso já pensou que se não foi feito, foi porque nunca a oposição se lembrou? Foi porque nunca ninguém se preocupou em aferir da verdadeira forma de trabalhar da Câmara, para poder criticar de forma mais construtiva? Por acaso V. Exa. já pensou que se nós soubéssemos efectivamente quantos trabalhadores trabalham em cada pelouro, o que fazem e, porque não fazem mais, eventualmente não criticaríamos injustamente um determinado assessor ou um vereador que até pode nem ter os meios todos para realizar melhor o seu trabalho?

Estou certo de que V. Exa. vai reconsiderar a sua decisão e vai deixar-nos entrar na “sua” Câmara, porque não tem nada a temer. Ou estarei enganado?

Atenciosamente,"


Ora, há dias fui confrontado com a notícia de que o candidato à Presidência da República, Francisco Lopes tinha visitado as novíssimas instalações da  Câmara Municipal, facto que me trouxe de imediato à memória a frase " Era só o que faltava..!"

Ora, sendo certo que reconheço que a realidade é diferente , pois a visita é de um candidato e não de representantes locais, o paralelismo, perdoem-me, mas é inevitável e sobretudo a ideia de que o munícipio beneficiaria mais se os seus representantes políticos da oposição conhecessem essa realidade do que um candidato presidencial em campanha. E isto já para não falar na questão moral da coisas...

Para além do mais, enquanto mandatário local da candidatura de um outro candidato (como sabem, do Prof. Cavaco Silva) não gostei de ouvir (no site da campanha) as palavras utilizadas pelo candidato apoiado pelo PCP, no meu próprio local de trabalho.

Por isso deixo-vos a notícia que saíu no Diário de Notícias de sábado:

Oposição no Seixal contra Francisco Lopes
08 Janeiro 2011
A visita já ocorreu há duas semanas, mas só agora a oposição do PSD e PS na Câmara do Seixal, de maioria CDU, tomou conhecimento que o candidato apoiado pelo PCP à Presidência da República andou a fazer campanha pelos corredores da autarquia. Francisco Lopes distribuiu brindes e realizou um discurso afiado contra Cavaco Silva, quando falava em comício para os trabalhadores do município, no refeitório do edifício dos Serviços Operacionais.



"Estou em choque e indignado. Não sei se nos tentaram esconder, mas não percebo como é que a oposição não foi informada", lamenta o vereador do PSD, Paulo Edson Cunha. Só terça-feira, numa conversa de café com funcionários, o autarca ficou a saber o que tinha acontecido. "Tenho de reflectir sobre os passos que devo dar", disse ao DN, simultaneamente, mandatário de Cavaco no concelho do Seixal.

O autarca diz que a sua indignação é ainda maior depois do "tratamento discricionário" de que afirma ser vítima, quando há dois anos, enquanto líder da concelhia do PSD e membro daAssembleia Municipal, solicitou uma idêntica visita aos serviços, que lhe viria a ser negada. Além de repudiar a "acção eleitoralista deliberada", adjectiva, o autarca diz que Francisco Lopes deveria ter tido "mais contenção na linguagem, dado que estava a usar instalações oficiais." É que no discurso, que está disponível no site oficial do candidato, Francisco Lopes referiu que "a política de direita, apadrinhada pelo actual PR" traduz um ataque à obra autárquica.

Os vereadores do PS também se mostraram ontem surpreendidos, ficando a saber pelo DN da realização da visita, que foi a 21 de Dezembro, enquanto o gabinete da presidência desvaloriza: "Todos os candidatos que pretenderam visitar os serviços, o puderam fazer."


Também pode ler a notícia carregando ( Aqui ). Cada um que tire as conclusões que quiser.

Uma boa semana para todos

4 comentários:

Ponto Verde disse...

A situação que descreve no post é uma afronta à Democracia, mas há outras questões que democrática , legal e Constitucionalmente me afligem.

Uma visita dos donos da Câmara às violações do PDM na zona de Pinhal dos Frades e Flor da Mata também era desejável para justificar minimamente a sua existência.

Sim, a questão da desflorestação não é só uma questão de sensibilidade ecológica, é uma questão de respeito pelo Plano Director Municipa.

Se os Senhores DONOS da Câmara sabem o que ali se está a passar e não actuam, então trata~se de estar dar cobrimento de uma ilegalidade o que como sabe melhor do que eu poder ter outras consequências.

Anónimo disse...

O despotismo no seu melhor. Mas o que esperar deste tiranete?
E ainda tem muita sorte que não lhe retirem o gabinete ou a conta de email como já sucedeu a outros vereadores.

J.S. Teixeira disse...

Meus caros,

É por estas e por outras que o Sr. Paulo Edson Cunha é o responsável pela maior derrota do PSD desde há quase 30 anos para cá em eleições autárquicas.

Tenho dito.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.