quarta-feira, julho 23, 2008

Plágio - Comente para o "Comércio..."

Esta semana vou plagiar.
Vou plagiar, não pelo simples acto de o fazer, não porque não tenha outras ideias sobre o que falar, mas porque gostei tanto de um post que li no excelente blogue "Por cá tudo na mesma", achei-o tão profundo, com tanto significado que, com a devida vénia do seu autor vou plagiá-lo para este Blogue e para as páginas do jornal.
O Post é este: aqui (clique) e eu deixei o seguinte comentário, que passo a reproduzir :
"Esta experiência retratada neste post, que eu reputo de excelente, é para mim reveladora; Permite-me pensar sobre o mundo que nos rodeia, cada vez mais "ligado" à etiqueta, à marca, ao superfluo, ao que nós sabemos ou pensamos ser bom, porque nos foi vendido dessa forma.Quem de nós nunca se confrontou com os produtos brancos do supermercado? e, alguns deles, mesmo sendo mais baratos que os produtos que habitualmente utilizamos, tememos arriscar, mesmo que nos digam que são iguais.Hoje levei os meus filhos ao cinema a ver um daqueles filmes de crianças e, a dado passo o protagonista do filme percebeu que o seu pai fazia uma famosa sopa com um segredo. Esteve a vida toda à espera que esse segredo lhe fosse revelado e, quando o foi, descobriu que afinal a sopa era igual a todas as outras, sem qualquer segredo e o que a tornava tão especial era as pessoas acreditarem que a mesma possuía um segredo único.Ambas as coisa são o que se passa na política. É o que se passa aqui no Seixal. já todos percebemos que com a CDU não vamos lá, podemos até pensar que é o tal "produto de marca" que contém o "tal segredo", que tantas e tantas vezes ouvi dizer, do tal mito de que os comunistas trabalhavam bem nas autarquias, por isso a população tem tido medo de arriscar. Sei que cabe à oposição mostar que eles não têm nenhum segredo, não são especiais, nem sequer bons no que fazem, pelo menos agora. Se o foram, foi no passado.por outro lado a oposição tem de mostarar que é confiável, assim como qualquer um de nós só opta por mudar de marca de produto quando esse produto nos desilude, encarece, deixa de nos servir ou, simplesmente quando percebemos que o tal "produto branco" afinal é mais barato, mas sobretudo, é melhor.Está na hora de os Seixalenses mudarem. De perceberem que há mais e melhor. De perceberem que podem estar a ouvir um concerto, mesmo cantado por aqueles em quem eles não acreditam E não acreditam se calhar pelo simples motivo que nunca sequer olharam com atenção."
Já que estamos em maré de recomendações, esta semana não queria deixar de recomendar um dos melhores blogues que conheço, onde seguramente se aprende sempre alguma coisa, para além do prazer da sua leitura e da sua forma correcta de escrever. Estou a falar do Blogue Hekate, cujo link é o seguinte : http://hekate-hkt.blogspot.com/ . Vá lá, não o perca, pois garantidamente não se vai arrepender.
Nota 1: Esta semana foi conhecida a primeira condenação em tribunal de um dos arguidos/Presidente de Câmara notáveis. Estou a falar do major Valentim Loureiro, presidente da Câmara Municipal de Gondomar. Bem sei que o processo ainda não transitou em julgado, o que o torna presumivelmente inocente, mas sempre defendi, e continuo a defender que em casos como este os Presidentes deviam demitir-se ou, no mínimo, suspender os seus mandatos. Aguarda-se o que vai acontecer a Fátima Felgueiras, Isaltino de Morais, Avelino Ferreira Torres e Carmona Rodrigues. Sei que o Povo os reconduziu (este último não foi reconduzido, mas teve um resultado vitorioso para as circunstâncias), mas uma coisa é certa: mantenho que, se juridicamente mantém-se a presunção de inocência, já politicamente depois de tudo o que se sabe dos processos, a única saída que os dignificava era a demissão ou a suspensão, não o fazendo estão a prestar um péssimo serviço`à política.
Nota 2: Hoje, despediu-se dos relvados um dos meus ídolos de outrora: João Vieira Pinto. Ao serviço do Benfica deu-me das maiores alegrias dos últimos anos e a imagem de grande profissionalismo. Ao serviço do Sporting, nunca o assobiei, embora ele tenha sido, a par de Jardel, o grande obreiro do último campeonato do Sporting. Mas, um campeão é sempre um campeão e, desde que seja correcto, tem sempre o meu aplauso. Obrigado JVP!
O seu comentário é bem vindo e poderá ser lido na próxima edição do "Comércio do Seixal e de Sesimbra".
Pode também fazê-lo no Blogue "Rumo a Bombordo" (Aqui).

26 comentários:

Anónimo disse...

LOl pois é profundo...filosofia de banda desenhada... bem ao que chegamos... aqui a cultura das pessoas está ao nível de filmes para crianças... e foi preciso ver um filme de crianças para saber isso? Nunca soube da nossa história da sopa de pedra?
É verdade que isto anda um verdadeiro Pandemónio, mas mais um pouco de elevação não custa a ninguém... e comparar a CDU a qualquer bom produto ou de marca??
Fraquinho muito fraquinho... agora bom mesmo é esse blog do Hekate.

Francisco disse...

Expectacular!
Excelente!
Isto é a realidade
Um amigo que muito prezo, disse-me um dia o seguinte: "as pessoas não são mais do que a ideia que nós fazemos delas". Acho que esta frase se adapta a tudo.

Paulo Edson Cunha disse...

Caro Anónimo.
Deixo-lhe a " Lenda da SOPA DA PEDRA"

Um frade andava no peditório. Chegou à porta de um lavrador, não lhe quiseram aí dar esmola. O frade estava a cair com fome, e disse:

Vou ver se faço um caldinho de pedra…

E pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, para ver se era boa para fazer um caldo. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança. Perguntou o frade:

Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa boa.

Responderam-lhe :

Sempre queremos ver isso!

Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu :

Se me emprestassem aí um pucarinho…

Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.

Agora, se me deixassem estar a panelinha aí ao pé das brasas…

Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, tornou ele :

Com um bocadinho de unto, é que o caldo ficava um primor!

Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada pelo que via. Dizia o frade, provando o caldo :

Está um bocadinho insosso. Bem precisava de uma pedrinha de sal.

Também lhe deram o sal. Temperou, provou e afirmou :

Agora é que, com uns olhinhos de couve o caldo ficava que até os anjos o comeriam!

A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras.

O frade limpou-as e ripou-as com os dedos, deitando as folhas na panela.

Quando os olhos já estavam aferventados, disse o frade :

Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça…

Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele botou-o à panela e, enquanto se cozia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era uma regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:

Ó senhor frade, então a pedra?

Respondeu o frade:

A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.

E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.

eSTA É A LENDA. jÁ AGORA FICA A RECEITA:
Receita da Sopa da Pedra
Ingredientes:
1/2 l de feijão-encarnado
1 kg de orelha e cabeça de porco
200 grs de entrecosto
250 grs de carne de vaca para cozer
100 grs de toucinho entremeado
1 chouriço
1 morcela
1 couve-lombarda
400 grs de batatas
2 cenouras
2 cebolas
2 dentes de alho
sal q.b.
1 farinheira
hortelã e coentros q.b. (facultativo)

E a Confecção:


De véspera raspam-se e limpam-se bem a orelha e cabeça de porco, salgam-se juntamente com o entrecosto e põe-se o feijão de molho.



No dia seguinte lavam-se as carnes e os enchidos e põem-se a cozer em água e sal. Separadamente, põe-se também o feijão a cozer em água. À medida que forem cozendo, vai-se retirando as carnes sucessivamente, para não se espapaçarem, visto que a carne de porco coze muito mais depressa que a de vaca, o mesmo acontecendo com a morcela em relação ao chouriço.



Logo que se retirarem todas as carnes, juntam-se cortadas em pedaços, a couve, as cenouras, a cebola, os alhos picados, e algum tempo depois as batatas também em pedaços.

Entretanto, escorre-se o feijão, do qual se retiram duas conchas que se passam no passe-vite. Quando os legumes estiverem cozidos, juntam-se-lhes os feijões inteiros e os passados. Deixa-se ferver tudo para apurar e rectifica-se de sal.



Cortam-se as carnes de porco e de vaca em bocados, os enchidos em rodelas e o toucinho em fatias. Deitam-se as carnes na panela e, logo que levantar fervura, adicionam-se os enchidos e o toucinho, servindo-se, imediatamente. Empregando a farinheira deve pôr-se a cozer juntamente com as carnes, tendo em conta que o seu tempo de cozedura é muito rápido. Temperando com coentros, devem deitar-se ao mesmo tempo que os legumes. Se for o caso de se empregar hortelã, basta juntar um ramo ao mesmo tempo que os enchidos.

Por gracinha põe-se em cada prato uma pedra redonda, tipo seixo rolado do rio, mas previamente bem lavada.

Sabe o que lhe digo? a Sopa da Pedra nasceu de uma lenda, mas é especial, nutritiva e saborosa.
O exemplo que dei era de uma sopa normal que as pessoas achavam que tinha um segredo, por isso a achavam especial.
consegue perceber a diferença?

CDU um produto de marca? claro que não. Disse-o. Mas também disse que as pessoas interiorizaram (e em tempos até talvez já tenham tido algunms motivos para pensarem isso que as Câmaras geridas por comunistas eram bem geridas).
O que tentei dizer é que é um mito que urge desmistificar porque está provado, pelo menos no Seixal que isso não corresponde à verdade.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Com todo o respeito pelo seu amigo, acho totalmente errado esse principio de vida :"Um amigo que muito prezo, disse-me um dia o seguinte: "as pessoas não são mais do que a ideia que nós fazemos delas". Acho que esta frase se adapta a tudo."
Considerar que as pessoas são apenas as ideias que fazemos delas? Extremamente redutor... para não dizer triste. Talvez isso sirva para algumas pessoas mas haverá de certeza muitas mais pessoas que conseguiram ver para além disso. Esse seu principio anunciado é algo que as sociedades modernas sofrem e que se deve combater. É com base em ideais como essas que chegamos à politica do governo actual em que o individuo com personaliddae e nome é algo que está reservado a alguns iluminados socialistas... os outros apenas ... números.
Claro, Francisco, que compreendo o seu comentário e como compreendo que não concorda com esse principio. E ainda bem. A frase até pode adaptar-se a muita coisa, mas quem a adapta e a usa fica definitivamente mais pobre.

Anónimo disse...

Se era para demonstrar que conhecia a Lenda da Sopa de Pedra mais valia ter deixado o link, pois todos nós já a conhecemos.

Mas se gostou da sugestão então leia aquela que poderia ser utilizada como resposta pela CM Seixal, a história do Velho, do Menino e do Burro. Essa é mesmo boa.

SE quiser o link é só dizer.

É uma história que se adapta a quase tudo, com imaginação... vamos lá.

Agora mais a sério, acho que o PSD deveria dar mais atenção ao que realmente importa.
Não sei se o pode fazer neste espaço (por questões editoriais), ou se o deve fazer neste espaço (não se trata de orgão oficial do partido). Sei que devem ser mais consistentes e incisivos, ao exemplo daquilo que temos visto na minha JSD.
E fica a proposta (sem cobrar nada pela proposta)de criarem um sitio na internet para todos os militantes poderem exprimir as suas opiniões mediante a inscrição e acesso condicionado por senha que seria entregue individualmente a cada um dos participantes.

E já agora fiquei curioso, como sabe que a sopa do filme é uma sopa normal? E não é uma sopa extremanente saborosa e calórica como a sopa da pedra? Será que a tomou apenas por uma sopa normal, pelo facto do seu segredo não ter segredo? E ao saber que não tinha segredo desvalorizou, de forma inconsciente, a qualidade da dita sopa?
Por outras palavras aplicou o principo acima referido pelo Francisco?


Cumprimentos

maria das dores disse...

O problema é que este "produto" nem de marca branca é, é um produto contrafeito, digno de uma prateleira de "Bazar Chinês" , se fosse uma sopa, seria uma intragável sopa de letras, azeda , fora do prazo.

hkt disse...

Então é isso!
Nunca gostei de sopa. Ainda mais desta sopa, requentada de mais de trinta anos... esta sim, cheia de pedras (no sapato).
Também me apetece plagiar: "- Pai, afasta de mim essa tigela de sopa, pai".

Agradeço as recomendações e os elogios.Tenho procurado partilhar as minhas leituras, visões, reflexões, preocupações...

Francisco disse...

Onde se lê "expectacular" Dever-se-á ler "espectacular", desde já peço desculpa pelo lapso.

Mantendo a frase que escrevi no meu comentário anterior, digo ao anónimo que não referi em momento algum que o meu amigo a adapta, apenas constactou,assim se passa numa grande maioria de situações, o próprio anónimo o refere.

Anónimo disse...

Vir aqui alguém dizer que falta dinamismo e consistência a uma pessoa que se tem caracterizado pelo dinamismo, consistência, coerência, só mostra mostra mesmo o descontrolo com que alguns andam.

f. fernandes disse...

Passar da história infantil à política real, forma inteligente de escrever, que não me parece fácil mas comum a muitos dos seus textos. Não o conheço pessoalmente, mas pelo que observo, pelo que leio e pelos comentários que tenho ouvido tecer à sua pessoa, será alguém com valor, criativo e atento, que causa incomodo politicamente. Que vê o mundo com todas as cores. Mas, neste País cinzento, em que ainda estamos numa fase em que não interessa o valor, as ideias, mas sim a aparência, convencendo-nos e tentando mostrar ao mundo que estamos mais à frente porque temos semblante carregado, muitos não o compreenderão, outros sim, no entanto nem todos assumem. Ainda assim, parece-me que muitos gostam de ler, de comentar, outros de utilizar este espaço para pressionar a que mude o seu estilo, a sua forma de estar e isso pode ter várias leituras….Não o conheço, mas se o conhecesse dir-lhe-ia para continuar nessa linha. Continuarei a acompanhar o excelente trabalho que sei que tem vindo a desenvolver.
Gostei muito do artigo que plagiou e acho que tem toda a razão no comentário que fez.

Isabel disse...

Concordo plenamente, o Dr. está a gerar um grande descontrolo.

Anónimo disse...

Não há duvida Dr., um texto cheio de boas e acertadas escolhas, como é seu costume, aliás. Concordo absolutamente consigo relativamente ao caso do major ( e outros que por aí andam), atendendo até à lentidão da justiça, a suspensão do mandato, seria de elementar bom senso.

Anónimo disse...

Sim verdade está a gerar um grande descontrolo. Agora qual?
Posso dizer que não gosto da sua escrita.
Mas isso será já um descontrolo?
Posso afirmar que você vende uma imagem daquilo que não é.
Mas isso será um descontrolo?
Posso dizer que usa os mesmos subrefúgios e artimanhas dos outros politicos.
Mas isso será um descontrolo?
Peço sinceramente às pessoas que tentam coibir todas de expressarem a sua opinião, quando ela for contrária à do Edson, que se eximam de tal atitudes.
Eu por uma questão de decoro apenas comento artigos, actividades e nunca pessoas.
E eu conheço muito bem o senhor Edson, como tal sei o que digo.

Anónimo disse...

Quanto ao caso do Major, apenas me aprova dizer que o Major encontra-se dentro da legalidade e que ainda goza da estatuto da presunção de inocência.
Espero sinceramente que nunca tenhamos de desfrutar deste princípio, pois nesse caso iremos ver da bondade e importancia do mesmo. Retirar um direito constitucionalmente garantido a um cidadão deve constar de sentença transitada em julgado e nunca de uma sentença que ainda é passivel de recurso. Parece-me algo elementar. E para mais, o senhor Major tem sido eleito com larga maioria dos votos expressos. Serão todos "burros" os que votam nele? Seremos nós os activistas de sofá que aqui escrevemos que somos melhores.


Cumprimentos

Raul Meireles

Paulo Edson Cunha disse...

Meu caro anónimo.
Se gosta ou não de mim é um direito seu.
Preferia que gostasse, mas não podemos agradar a toda a gente, não é?
Se me conhece, no mínimo era elegante identificar-se, pelo menos a mim. O meu e-mail é:pauloedson.cunha@gmail.com e espero que me diga o que de tão grave me tem a apontar.
A verdade é que assim é uma conversa injusta, com armas desiguais, no manto e sob a cobertura do anonimato e das falsas suspeitas, quanto a mim mais graves do que das denúncias concretas.
De que me devo defender? não sei.
A quem me devo dirigir? Não sei.
A que factos ou características se refere? Não sei.
Pois bem, se diz que "por uma questão de decoro nunca comenta pessoas mas apenas artigos", devo dizer-lhe que no meu caso, ainda que indirectamente comentou a pessoa. E fez o pior que se faz a uma pessoa de bem, lança-se a suspeita, mas não se concretiza.
Assim todos saberão: "eu conheço-o" "sei do que é capaz", mas ao não concretizar cai na mais vil calúnia.
Lanço-lhe o desafio, identifique-se, no mínimo apenas a mim. Se diz que me conhece, também eu o devo conhecer, portanto, nem sequer um nick-name falso será admitido. Se preferir, faça-o por e-mail, mas assuma-se.
Estou habituado a defrontar pessoas, homens, não cobardes.
Força!

Anónimo disse...

E se for antes uma anónima?

Anónimo disse...

Não gostar de si?
Mas onde aparece isso afirmado?

A única coisa que afirmei foi que não gosto da sua escrita. E quanto a isso como algo subjectivo que é só eu posso mudar.
Agora não posso ser desconsiderado pelo facto de discordar da sua escrita, aí se vê a tolerância, ou a falta dela.
Quanto ao resto, como gerar descontrolo, não era em relação a suas afirmações mas em resposta ao senhor anónimo de 24 de Julho de 2008, 9.38h (esse anónimo o senhor não pediu para se identificar), e foi um exercicio de suposições no sentido de desmontar as afirmações do senhor anónimo acima referido.

Quando digo bem do senhor, e já o fiz, nunca me pediram para me identificar.

Temos de saber viver com as criticas.
E, por outro lado, também gosto do meu pseudónimo, Raul Meireles... é-lhe familiar?
É um pseudónimo bom, mas não é invenção minha. Plagiei.

Cumprimentos
Bruno Alves

Anónimo disse...

Olá "Betinho"!

Venho, ainda que não necessites, atento o comentário que publicaste ut supra, prestar-te a minha solidariedade, a minha mais sincera homenagem.

Expresso, publicamente, o respeito que tenho pela tua pessoa, enquanto Homem, Jurista, Político, Comentador e tudo o mais que te enaltece!

Indubitavelmente, e como quem realmente te conhece sabe,tu "defrontas, Pessoas, Homens e não cobardes"!

Por isso "Força"

A Amiga (com Muito Orgulho)

Betinha

Anónimo disse...

Então onde fica a oposição à CM Seixal? Ou isto não é um blog da oposição? Ou é um blog pessoal para os amigos?
Deixem-se de tricas e façam oposição em condições para ver se nos libertamos desta maioria da CDU!!
Até porque o PSD Seixal é muito mais do que este blog!!

David Veloso disse...

Estou perdido no meio de tantos anónimos. Faz lembrar a anedota do "Organizem-se!!!!"

Mas o exemplo é parecido ao Português, onde artistas conhecidos foram tocar para a baixa com o mesmo resultado ..... e o caso da política é que nas eleições autárquicas, os eleitores não votam em ideais e/ou pessoas, até porque poucos se dão ao trabalho de analisar os manifestos ..... vota-se na "cor" que habitualmente sempre se votou, ou na pessoa que achamos poder falar melhor na televisão e “sacar” recursos ao governo vigente. Fazendo a analogia com o texto, pode ser um pelintra vestido de fato de gala ou um virtuoso vestido de mendigo. O que interessa é o fato. O Eddy Murphy fez um filme que retrata esta realidade "The Distinguished Gentleman (1992)" ..... vota-se no de sempre ..... ou talvez não .....

Com tanto recurso a analogias e historias, sem colocar nenhum link porque não me apetece procurar, a questão da CDU no Seixal, como outros partidos noutras câmaras, é que tudo vai bem até alguém dizer o que todos pensam .... “Olhem, o Rei vai nú!”

Cumprimentos,
David Veloso

Paulo Edson Cunha disse...

Antes de mais, impõe-se um cumprimento e agradecimento por este fórum de discussão, uma vezes mais elevado do que outras, mas totalmente livre.
Também evito entrar em diálogo repetitivo, mas gosto de responder às questões que me são colocadas.
Da minha parte vou tentar responder e encerrar o assunto:
Primiero ao Anónimo que assina como Bruno Alves, e diz ser também o Raúl Meireles. Continuo na mesma, não o conheço, mas você pelos vistos diz conhecer-me bem.Pelo meu e-mail, diga-me quem é, de onde nos conhecemos.Seria importante para mim perceber porque diz o que dia (leia o seu comentário de 24 de Julho, pelas 12:00)
É um facto que refere directamente a minha escrita, mas refere-se indirectamente à minha pessoa. Não vele a pena jogar com as palavras.
Porque não peço aos outros anónimos para se identificarem?Peço sempre, agora neste caso em concreto só lhe refiro isso porque diz que me conhece.
Os outros não dizem isso.
O último anónimo fala em perdermos tempo e devermos fazer oposição a sério: tem razão. mas olhe que temos feito. melhor nuns casos, pior noutros, mas temos levantado sempre as questões. Aqui e nos órgãos competentes.
Reafirmo para quem tem dúvidas:este é um blogue pessoal feito para amigos e para quem gosta de ler, reflectir, discordar, opinar. As circunstâncias fizeram dele um espaço muito próximo do PSD, quase institucional, o que tem aspectos positivos, outros, nem tanto, mas nenhuma opinião tem sido coartada.aqui já publiquei documentos oficiais do PS e da Assembleia Municipal.
Este não é um blogue da oposição! É sim um blogue do actual presidente local de um partido da oposição e, que tem feito muita oposição. Basta estar atento ao que o Sr. presidente da C.M.Seixal e outros responsáveis da CDU dizem dele .

Por fim agradeço as palavras simpáticas de quem entendeu defender-me ou elogiar-me, embora não tenha visto nesse acto qualquer coisa como isto:"pessoas que tentam coibir todas de expressarem a sua opinião, quando ela for contrária à do Edson, que se eximam de tal atitudes." como diz o Bruno Alves.
São amigos, ou não, que manifestam a sua opinião, embora favorável, tal como o Bruno Alves manifesta a sua, que, como o próprio disse, às vezes até é boa. Uma coisa é certa:SEMPRE FOI PUBLICADA.

Anónimo disse...

Eu como também não entro em diálogos, e só em jeito de remate, e agradecendo que não responda, pois é algo que não faço intenção de ler, e como estou quase esclarecido e vejo que nestes termos a oposição, para mal dos meu pecados, vai muito mal, e não percebendo muito da vida partidária, mas francamente não sei como no seu partido (apesar de demcrático e pluralista) se permite a existência nestes termos híbridos de um blog como este, que não é partidário mas apenas pessal.
Tenho sérias dúvidas quanto ao benefício de tal desiderato.

Para acabar, referir que já votei PSD e nunca votei CDU, mas tenho dúvidas que vote a votar.

E como referi agradeço que não responda.

Cumprimentos

Nuno Espírito Santo

A. Lopes disse...

Como o Dr. Paulo encerrou o assunto, o que acho correcto, pois discussões destas não conduzem a nada, mas como acho absolutamente incrivel que alguém aproveite este espaço, que como bem diz, é um blog pessoal, onde o seu autor publica artigos de opinião, politicos ou não, que envia para publicação em jornais de âmbito local, para revistas de desporto, onde publica assuntos de natureza pessoal, alusivos a momentos festivos, vem alguém sob anonimato dizer o que bem entende dando-se o privilégio de agradecer que o Dr. Paulo Cunha não responda, permito-me expressar a minha opinião , assim, é fácil não entrar em diálogo, mas sim em monólogo. Apesar de o Dr. Paulo Cunha ser Presidente do PSD Seixal, o que tem o partido com a sua vida pessoal, onde está a liberdade de expressão? Em que está a ser lesado o partido? Não estará o partido a beneficiar deste espaço que é pessoal, mas onde se põe a descoberto variados assuntos de interesse politico? Claro que o PSD é um partido democrático, claro que permite aos seus militantes expressarem suas ideias, as suas opiniões,os seus sentimentos, estamos a falar de um blog pessoal, que pertencde ao Presidente do partido localmente, o que tem de iliticito? Qual o partido que pode impedir tal facto? Ao abrigo de quê?
Paulo Cunha tem levantado grandes questões, tem posto "o dedo em muitas feridas" , um homem lutador e grande de valor, a assumir sem medo as suas posições, as suas convicções, alguém que não se cala e que é já uma voz muito ouvida a nivel politico, o que parece estar a causar grande incómodo. Utilizar este espaço para denegrir a sua imagem é uma técnica demasiado vulgar e evidente.
Vejamos mais além.
A. Lopes

Anónimo Identificado ou quem sabe o Presidente da República disse...

O anonimato tem num lado os filantropos, que dão ou ajudam no anonimato pois o seu único objectivo é ajudar ..... e no extremo oposto temos os cobardes ou os fracos de carácter.

Percebo quando alguém faz uma denúncia anónima numa delegacia, sobre uma situação de maus tratos ou de roubo ..... quando um empregado denuncia um superior ou patrão ..... são situações que podem levar a represálias de alguém com um poder superior, logo, sempre em vantagem.

Por estas razões eu percebo ..... por cobardia não.

É muito fácil criticar ou denegrir alguém, como por exemplo num blog, utilizando o anonimato para cobardemente dizer o que não se tem coragem de dizer. Se se conhece a pessoa e não se diz, considero ainda mais vil e degradante.

As criticas válidas, mesmo que contrárias, são sempre bem vindas, quer o seu visado concorde ou não, quer fique contente ou triste, a verdade é que produzem efeito. Mas ataques de carácter sem substância, para além de vil cobardia, podem denegrir a imagem sem que o visado tenha hipóteses de se defender ..... defender de quê? ..... explicar o quê? ..... o preço da fama e/ou de ser um alvo a abater, seja interna ou externamente onde nos encontramos. Triste e degradante a visão de cidadania de alguns.

Os blogs são um espaço com várias possibilidades, seja pelo prazer da escrita ou “escape” psicológico, como é o meu caso, seja por direito de informação, espaço de debate livre ou condicionado de ideias, ..... etc ..... etc ..... etc. Regra geral eles possibilitam um espaço para comentários, o que não é o meu caso, onde quem escreve quer ouvir a opinião dos outros ou permitir que comentem, fomentando assim o debate. Mas isso acarreta sempre o perigo do anónimo, isto é, quando se comenta um blog não é preciso identificarmo-nos ..... tanto podemos anonimamente fazer uma critica positiva, a alguém que gostamos ou não, como fazer a maior das críticas ofensivas, e depois de ela ser publicada ligar ao autor do blog e dizer “quem te escreveu não gosta mesmo de ti ..... achas que conheces? ..... se fosse eu partia para a agressão” A Internet proporciona isso.

Esta foi a 2ª vez que comentei um blog, sendo também sobre o assunto a última vez. Talvez nos encontremos num outro artigo qualquer, que até pode ser o Paulo Edson, político ou pessoal ..... mas sempre identificado.

Cumprimentos,
David Veloso

Rafael disse...

Como proibir um blog pessoal? Quantos têm blog? Apenas a titulo de exemplo dentro do PSD, Santana Lopes, Pacheco Pereira entre muitos outros nomes da vida pública e politica.
Estamos num País livre, é bom que não esqueçamos!

Anónimo disse...

http://markonzo.edu Excellent work, Nice Design ashley furniture price [url=http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1536072]ashley furniture price[/url], fukdke, allegiant air verdict [url=http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1536075]allegiant air verdict[/url], btuerep, pressure washers info [url=http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1536078]pressure washers info[/url], xhqxep, dishnetwork blog [url=http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1536080]dishnetwork blog[/url], huwnm, adt security preview [url=http://jguru.com/guru/viewbio.jsp?EID=1536076]adt security preview[/url], xodlp,