terça-feira, maio 13, 2008

Comércio do Seixal - Temas da Semana: Devia o presidente da ASAE demitir-se? Verdizela - Atentado Ambiental ou o Preço do progresso?

Como habitualmente, aproveitando o mesmo post, deixo-vos o texto que seguiu para o jornal é que foi editado em suporte de papel.
«Cada inspector tem de detectar 124 infracções, levantar 61 processos de contra-ordenação», abrir «oito processos-crime, fechar ou suspender o funcionamento de pelo menos seis estabelecimentos» e ainda «fazer duas detenções», afirmou, citando um documento ao qual disse ter acesso.» Ora bem, imaginemos o inferno da vida de um “coitado” de um inspector que estando na última semana do ano apenas tinha instaurado 105 infracções, 49 processos de Contra-Ordenação e 6 processos-crime. O que faz? Não cumpre os seus objectivos e é despromovido , ou pelo menos fica mal visto perante os seus superiores hierárquicos ou, em alternativa, começa a inventar problemas nas inspecções que faz só para cumprir esses objectivos? Não queria estar na pele de um desses inspectores, mas, muito menos queria estar na pele de um dos inspecionados. Sei bem do que falo. Num dos meus primeiros artigos de opinião, estava a ASAE em criação e era muito pouco conhecida e elogiei o modelo e a importância para a nossa sociedade. Continuo a pensar assim, mas não só porque profissionalmente já tive oportunidade de verificar como trabalham, como são arrogantes e insensíveis (e só não vou mais longe, devido ao sigilo profissional de que estou obrigado), como essencialmente este tipo de notícias deixa-me pensar o pior. E o pior é que a notícia é efectivamente verdadeira, o responsável da ASAE (o tal que foi apanhado a fumar no casino no dia em que a lei da proibição de fumar em espaços fechados foi aprovada e, que depois se arranjou “à força” uma excepçãozinha para os casinos, assim como agora aconteceu com o PM, onde já se diz que em aviões fretados não é proibido) desmentiu-a, mas perante as provas apresentadas foi obrigado a reconhecê-la. E o Sr. pode mentir? E um documento “de trabalho” como este, não é, só por si, suficiente para provocar uma demissão? E o Sr. não tem vergonha na cara? O meu conselho: Demitia-se e criava condições de termos uma ASAE respeitada, embora temida, pois este exemplo é uma perversão total do papel da ASAE.

Vários moradores da Verdizela, seguramente mais de 150 pessoas, expressaram a sua revolta (não a das laranjas) e indignação de no passado dia 11 de Maio de 2008.
Foi uma reunião espontânea que se deveu ao facto de terem irrompido desde o início de Abril com a abertura de uma "auto-estrada" de acesso a uma nova Urbanização (Alto dos Pinheiros), pela mão da Empresa Alves e Ribeiro. Através de uma zona verde que os moradores alegam estar em área Protegida pela Rede Natura, pertencente à Câmara Municipal do Seixal desde os tempos de cedência de espaços verdes da urbanização da Verdizela. Outro dos motivos da manifestação prendeu-se com o facto de, segundo eles, o saneamento desta nova Urbanização não ter projecto de especialidade no que toca à ligação dos ramais colectores quer das águas pluviais quer dos esgotos, à rede Camarária. Configurando-se deste modo um cenário catastrófico de inundação, principalmente para a zona mais baixa da Verdizela, que conflui com a zona de drenagem das águas pluviais da Verdizela Original com a nova urbanização.
Ora, a confirmar-se o alegado pelos moradores, esta situação representa um sério e grave problema quer ambiental quer económico, para toda a comunidade de habitantes da Verdizela e zonas circundantes e para todo o Concelho. A Associação de Moradores pretende colocar uma providência cautelar sobre a obra de acessos à nova Urbanização.
O PSD pretende estudar o processo, para o que já requereu a sua consulta, através dos seus vereadores para aferir da legitimidade das queixas dos moradores.
____________________________________________________________________
Antes, foi escrito isto:
Caros Bloguers e leitores do jornal "Comércio do Seixal", esta semana os temas postos à vossa análise, discussão e opinião são:



Tema Nacional: Devia o presidente da ASAE demitir-se, depois de ter sido apanhado a mentir acerca da existência do relatório interno?



Tema Local: Verdizela - Crime Ambiental ou o Preço do progresso?

(este tema embora esteja a ser discutido neste blogue e na blogosfera local desde o fim-de-semana, entendeu-se ser demasiado importante para que passe ao lado da população e merece tratamento jornalistico, onde, como sempre, a sua opinião conta e é publicada. Basta querer.

Uma nota final para informar, a pedido do próprio, que o Vereador Samuel Cruz, meu parceiro de blogue e jornal, por estar ausente, deixa desde já em aberto os comentários no seu blogue (http://rumoabombordo.blogspot.com/), para quem pretenda comentar no "Rumo a Bombordo", aproveitando este mesmo texto. Quem pretender fazê-lo que o faça, por enquanto no último post que ele tem publicado que depois é feito o aproveitamento, quando ele colocar este post.

Por fim relembro que os comentários, para serem publicados, terão de ser recebidos até quinta-feira de manhã.

14 comentários:

Anónimo disse...

Força Dr. Paulo Edson a sua coragem está a desorientar os camaradas.

Anónimo disse...

Mas quantos atentados ambientais já foram cometidos neste concelho? Penso sinceramente que nem se trata do mais grave aquele que ocorre por ora na Verdizela. Atente-se por exemplo ao perspectivado pelo Plano de Pormenor da Fábrica de Lanificios da Arrentela. Aí sim temso algo com que nos preocupar e que pode trazer a todo o concelho alguns problemas de mobilidade.
No que diz respeito à ASAE, e ao facto de ter escondido do público e rejeitado memorando interno, acho motivo suficiente para claramente ter de se demitir. Mas, esse senhor é um politico e o que é verdade hoje já não o é amanhã.

Bruno Alves

Anónimo disse...

Conheço desde muito tempo aquilo que se tem passado neste concelho em termos de construção e betonização. É algo de assustador ver aparecerem locais como Santa Marta de Corroios de um dia para outro. Aliás, sem desprimor para quem lá vive, os termos em que foi levada a cabo toda a urbanização, com uma densidade populacional enorme,e inerente ressão humana, vai acarretar que se tranforme a passos largos num novo Miratejo. Mais vinte anos e será isso que teremos aí.
Já sabemos quais os interesses que a CMS defende. Mas e então a oposição? Como tem votado os planos de pormenor apresentados? Como tem participado na discussão pública dos projectos? Sabem V.exas que estão em discussão diversos projectos para o meio envolvente da Baía do Seixal?
Quanto ao Senhor da ASAE (e repare que falei primeiro naquilo que acho mais pertinente para mim com munícipe do Seixal) só me apraz dizer que o senso comum e o bom senso nos nossos politicos é cada vez menos comum.

Pedro Emanuel

Ponto Verde disse...

Não tive acesso ao “dossier interno” da ASAE para me poder pronunciar sobre o mesmo tal como não sei em que parâmetros e em que contexto foi elaborado, o que sei é que a ASAE é necessária, embora sem o “Papismo” com que tem actuado, por vezes utilizando meios desproporcionados , nestes dois anos de existência devia ter pautado a sua actuação por uma politica de pedagogia correctiva e não de força bruta punitiva.

O caso da Verdizela é mais um do preocupante rol em que se está a tornar o somatório de crimes ambientais e a desmatação em massa que está a ser levado a cabo desde há 20 anos a esta parte no Seixal, sem tomar em conta os Planos de Ordenamento do Território incluindo o próprio PDM ou os mecanismos de protecção ambiental como é neste caso a Rede Natura 2000 em que aquele terreno se insere.

Deixo aqui um desafio à autarquia para publicar no próximo número do Boletim Municipal, em página Central, uma fotografia aérea ou de satélite do concelho assinalando perímetros com os projectos de habitação em curso e nos últimos dez anos , com a informação acerca do número de fogos autorizados.

E que disponilibize em anexo o numero de fogos em comercialização actualmente no concelho do Seixal. Um dedo é concreto e indiscutível, o Seixal cresceu em termos populacionais desde 1974 , de 30 mil, para 170 mil habitantes isto são dados tipicos de politicas terceiro-mundistas e não de progresso ou desenvolvimento sustentável , até porque nada do resto (criação de emprego,rede viária, equipamentos) acompanhou esta mudança.

Anónimo disse...

Boa!! Os tipos da ASAE são uns pantomineiros que só querem multas. demita-se já o homem

Velas do Tejo disse...

Tema Local

Verdizela: Um crime ambiental em nome de muito IMT!

Anónimo disse...

No meu ponto de vista os temas foram muito bem escolhidos. O caso do tema nacional, demonstra que na politica vale tudo mesmo negar o evidente. Deveria demitir-se o chefe da ASAE.
No que diz respeito a Verdizela, penso que certos interesses e expeculação imobiliária que paira naquela zona tem de ser travada. No entanto isso acontece com com a complacência da oposição que pouco ou nada responde ou informa os cidadãos do concelho. Mais, grande parte das vezes vota a favor certas coisas que depois se vem a arrepender. Para terminar, resta-me lamentar a não publicação no seu blog do meu comentário anterior. Possivelmente por não saber dar resposta a algumas questões aí colocadas. Mas agora como teve mais tempo desafio-o a colocar. Mas o senhor por ora é o dono da bola.

Pedro Emanuel

Paulo Edson Cunha disse...

Ao Pedro Emanuel apresento as minhas desculpas, mas o seu comentário anterior, por qualquer motivo que desconheço, não me apareceu no e-mail, por isso, quando li agora o pedido para o publicar, fui procurá-lo (ao gestor) e encontrei. Já está publicado e até o felicito pela qualidade de análise. Nunca houve censura neste blogue e não o ia fazer consigo.
A oposição (só posso falar pelo PSD) tem-se oposto muitas vezes, outras abstido. Tem tido uma questão de princípio: nunca votar a favor nada que tenha a ver com betonização. Mas também entendemos (e não foi este o caso) que, com muita abstênção, é uma verdade, mas que o PCP ganhou as eleições e deve aplicar o seu projecto. O Povo o julgará para o próximo ano.
Quanto á questão da Baía, que me coloca, tenho um post e tomada de posição preparada (face à sua importância, ainda não tive tempo de a fazer completamente) e que conto apresentar publicamente em breve.
obrigado pela sua participação (e a dos restantes) e volte sempre.

nunocavaco disse...

Está a ver o que falamos no outro post está bem espelhado aqui.

Você faz uma pergunta cuja resposta está implicita, carregada de negatividade: Verdizela - Atentado Ambiental ou o Preço do progresso?

Esta estratégia já era usada na Grécia Antiga e até resultou, pelo menos durante um período, depois foi ultrapassada porque não permite criar estratégia. E sem estratégia não se resolvem problemas.

A pergunta que lhe coloco é se esta questão foi assim formulada por alguma falta de experiência, se por desconhecimento da realidade, ou por vossa excelência ser um adepto ferrenho dos Sofistas? Como vê não lhe coloco nenhuma hipótese positiva, o que o vai levar a fugir à questão. Força!

Na minha opinião a escolha destes temas é brutalmente tendenciosa, mas é a forma de alguns fazer política, pela negativa.

Cumprimentos

Paulo Edson Cunha disse...

Na medida em que a questão que aqui coloca é genericamente igual à do outro post sobre a Verdizela,a que eu já respondi, remeto-o para a sua leitura.
talvez fosse bom informar-se sobre o que o seu camarada Alfredo Monteiro, Exmo. Sr. presidente da Câmara disse a propósito deste tema e depois vá verificar que afinal antes mesmo de consultado o processo começa a "fazer-se luz", que sem estas denúncias, jamais se saberia.
Sobre este assunto apenas voltarei a responder depois de consultar o processo, sob pena de eternizar uma discussão, com argumentos já apresentados de parte a parte.
Cumprimentos

Ponto Verde disse...

A forma de pôr o problema pela positiva na visão do senhor Nuno Cavaco pode ser vista da seguinte forma:

"Preocupado com o polem no mês de Março , com a lagarta , com o nemátodo do pinheiro , prevendo os fogos de Verão , a Câmara do Seixal na figura do seu excelso Presidente e demais Vereadores afectos a esta causa sublime.Resolveram:

1 - Aliviar a biomassa florestal e assim, a contribuição para esse mercado capitalista do carbono, uma vez que o seu sequestro nas florestas de nada serve para reduzir o aquecimento global. Ao mesmo tempo liberta os meios aéreos para outras áreas mais importantes, nomeadamente a evacuação de situações de coma alcoólico em Setembro na Festa.

2 - Aliviar de achaques alérgicos , a população desgastada com o ciclo da polinização, a proximidade reaccionária do mar e o ar do pinhal com ar tão bom junto à Baía...

3 - Criar um cordão asséptico sem esses adereços inúteis que são as aves, os insectos e os pequenos e menos pequenos mamíferos e também os répteis e os anfíbios, seres sempre incomodativos quando são esborrachados pelos reluzentes e pouco poluentes Prius com que os nossos autarcas mostram a sua inquestionável preocupação ecológica quando deambulam por aquelas latitudes.

4 - Preocupam-se os nossos autarcas também com a qualidade de vida dos cidadãos criando a possibilidade de uma segunda , terceira , ou quarta residência, sendo impossível , pagar até a cave esquerda nas Paivas, é óbvio que é culpa do Poder Central , do actual e de todos os anteriores governos.

Torna-se assim óbvio que esta é uma questão de progresso , acautelado pelos autarcas que tivemos a sorte que 20% de concidadãos visionários tivessem eleito , senão estariamos ainda nas trevas ARD (antes da roda dentada).

Concordarão todos o quanto devemos aos nossos autarcas por projectarem um progresso que não nos traz custos e assim sendo , nos dá melhor ambiente e qualidade de vida.Vi logo que só podiam concordar, carneirada linda!

Paulo Edson Cunha disse...

Penso ser essêncial todos verem este Blogue "Verdizela viva": http://verdizelaviva.blogspot.com/2008/05/seco-pblica-de-esclarecimento-na.html
que ainda relata melhor do que os jornais locais o que se passou na Sessão de Câmara.
Para todos tirarem as devidas concluões é essêncial que leiam o que lá está.
Parece qua anda muita gente desorientada com esta questão!

Anónimo disse...

Basta dar uma leitura em diagonal pelos diversos blogs e se conclui que o assunto "verdizela" não é mera invenção daqueles a quem se chama de oposição. Tantos são os comentários e os testemunos de moradores da Verdizela, de residentes no concelho, perante tantas afirmações congruentes, como pode alguém continuar a afirmar que assim não é? Não estão a destruir arvores? Não o estão a fazer à margem da lei? Olhando o enorme número de comentários, se são só da oposição e se é uma questão politica apenas, então será melhor que o poder reveja conceitos e pondere, é que provavelmente aqueles a quem chamam de oposição serão, atendendo à amostra, em tamanho número que brevemente a situação se inverte e deixarão de ser oposição para passarem a ser poder. Afinal nem o Sr. Presidente CMS sabe muito bem por onde passa o traçado...?
Quanto aos temas, parecem-me, como sempre, muito bem escolhidos.

Anónimo disse...

O Sr. Presidente sabe muito bem por onde passa o traçado é pura hipocrisia. Parece não saber é que como diz está a haver uma inversão e brevemente o que era oposição será poder. O Sr. Presidente sabe muito bem de todos os traçados assim como também sabe que passou a licença de urbanização à pressa para pagar os ordenados dos funcionários porque é uma vergonha que num concelho com tantos impostos que recebe dos cidadãos necessite de estar nas mãos dos grandes construtores de casas para receber em momentos criticos as taxas para pagar os ordenados aos trabalhadores e muitas vezes sob as condições que as empresas impõem porque numa camara em que o presidente precisa a todo o custo esconder que geriu mal o orçamento e que não tem dinheiro para os ordenados dos trabalhadores tem de aceitar todas as condições de quem se dispõe a pagar no momento em que convém à camara. Os bancos já não adiantam os ordenados agora são alguns empresarios que o fazem e mesmo as augis tambem já tem servido algumas vezes para disfarçar o buraco financeiro e fazer face ao subsidio de férias dos trabalhadores por intermédio dos advogados das augis e das comissões que obrigam os associados a pagar às vezes até com ameaças. Isto é a gestão CDU.