quinta-feira, junho 23, 2011

"Caprichos" de malta "ignorante" e "pateta"?

Antes de entrarmos noutros assuntos, para quem vem lêr este "apimentado" post, quero convidar-vos a participarem nas Festas de S. Pedro - Seixal, freguesia do seixal,  que começam daqui a pouco (24 de Junho e terminam apenas no prócimo dia 29). Deixo aqui o Programa dos Palcos para hoje:
DIA 24 de Junho – Sexta-Feira
21.00 horas: Abertura do arraial, Feira–Franca
Palco N.º 1
21.30 horas: Marchas Populares – Escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e Jardins de

Agora, retomemos o tema que concerteza vos trouxe aqui:

Oportunamente o PSD/Seixal  convocou uma conferência de Imprensa onde justificou o voto favorável do vereador eleito nas suas listas  ao  pedido de empréstimo de € 4.000.000,00 (quatro milhões de euros) e, na sequência do  mesmo,  informou que oportunamente iria pedir uma auditoria à Câmara Municipal do Seixal (sim, porque tivemos em conta as necessidades dos credores da Câmara, entre os quais as PME´s, mas não passamos "cheques políticos" em branco):



Na passada segunda-feira, dia 20 de Junho, o mesmo PSD votou favoravelmente na Assembleia Municipal esse mesmo pedido de empréstimo, juntando, à semelhança do que o seu vereador fizera, uma declaração de voto.


Ontem, em sede de Reunião de Câmara, o Vereador eleito pela Lista do PSD, apresentou o seu requerimento (detectados dois lapsos de escrita em reunião, solicitou que se alterasse o pedido para 2010 e não 2009 como erradamente está escrito e que se retirasse a palavra delibere, já que o documento seguiu em forma de requerimento e não de proposta, como inicialmente estava pensado):




Mais tarde, o próprio PSD/Seixal, numa atitude completamente concertada com o seu vereador eleito, apresentou a Nota de Imprensa que se segue:


Os motivos, do pedido de auditoria, penso que são fáceis de entender:
Não, não  detectámos nenhuma fraude, nenhuma ilegalidade, nenhum acto de gestão danosa.
Não, não vamos fazê-lo como denúncia de qualquer irregularidade que tenhamos detectado.
Entendemos sim, que a gestão é má, por más opções políticas, por orçamentos sucessivamente empolados na receita, que nunca se atinge em execução orçamental, por decisões incompreensíveis. Basta ver todas as nossas declarações de voto em Reuniões de Câmara ou Assembleia Municipal nos últimos 8, 9, 10 anos...

Ontem mesmo, após discutirmos este assunto no Período Antes da Ordem do Dia (PAOD) tivemos um excelente exemplo daquilo que tem sido o desperdício de dinheiros públicos, assumido (ainda que indirectamente) pelo próprio executivo, ao solicitar a dissolução e liquidação da CDR (Cooperativa e Desenvolvimento Regional, SA - Agência de Desenvolvimento Regional de Setúbal) - tema a que voltarei certamente - onde após enormes desperdícios de dinheiros públicos, constatou-se a sua inutilidade  (chamo a atenção para as excelentes  intervenções dos vereadores Fonseca Gil do PS e Luís Cordeiro do B.E., quando este assunto estiver em acta).


No final da reunião, o Sr. Presidente mimoseou-me com estas declaracões:



Mas como a razão vem sempre ao de cima, veja-se hoje esta notícia (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/batota-municipal-para-subir-gastos010523797), que refere o Relatório da Inspecção Geral das Finanças, onde se refere expressamente que "As autarquias gastaram 2 mil milhões de euros graças ao "empolamento das receitas" (não é a mesma coisa que eu denunciei ontem e que inúmeros autarcas do PSD têm dito há tantos anos?):



Ou seja, precisamente aquilo que temos denunciado...

Mas há mais, assim como Sr. Presidente me chamou ignorante (e a toda a Comissão Politica do PSD do Seixal):




Esquecendo-se, contudo, que esta adjectivação também assenta que nem uma luva a outros autarcas (que, no fundo, pediram o mesmo que eu e o PSD/Seixal), entre os quais alguns destacados dirigentes da CDU, que também pediram auditorias às respectivas Câmaras Municipais. Não acredito que eles fiquem satisfeitos por serem chamados de "ignorantes", mas isto sou só eu a pensar, que até sou um dos "ignorantes".  ora vejam:

Mas para o ramalhete ficar completo, o Sr. Presidente da Câmara Municipal, no seu estilo inconfundível e peremptório afirmou enfaticamente que "agora só faltava alguém pedir uma auditoria às contas do Estado", no fundo, no fundo, dando esse pedido como o cúmulo do rídiculo que, vá lá, condescendia, que ainda não tinha sido atingido pelo vereador do PSD, nem pelo PSD/Seixal.

Acontece que, mais uma vez, nem foram precisas mais de 24 horas para o Sr. Presidente ter de direccionar as suas palavras para outras figuras, bem mais proeminentes na nossa sociedade e, parece, que se continuarmos a seguir a terminologia do Sr. Presidente, o seu camarada Carvalho da Silva encabeça uma lista de 34 figuras nacionais que pede.. o quê? Não, não acredito, precisamente uma auditoria popular à dívida portuguesa!

Parafraseando o meu "amigo" vereador Samuel Cruz - uma verdadeira "patetice"..


15 comentários:

Anónimo disse...

HAHAHAHAHHAHAH!!! NO COMMENTS!!!

hkt disse...

Caríssimo,

Só posso testemunhar, nesta comop noutras matérias, a excelente articulação entre a CPS/PSD/Seixal e o vereador eleito pelo PSD.
aliás.
Catarina Tavares

Anónimo disse...

Parafraseando o Felipão Scolari:
"E o pateta sou eu..."

António Rafael disse...

O Vereador Samuel disse ser uma verdadeira "patétice"? Nem parecem palavras dele, será que está com medo de alguma coisa...mistério.

Anónimo disse...

Ainda agora o desfile vai no início. Preparem-se para a próxima.
Tenho dito.

Anónimo disse...

Um desafio ao PSD/Seixal em: http://viverseixal.blogspot.com/2011/06/carvalho-da-silva-defende-auditoria-as.html

Anónimo disse...

Mas o que aqui apresenta não tem qualquer significado porque segundo o assalariado Boletim 2 não passa "da mediocridade de uma certa imprensa" que se atreveu a dar cobertura ao PSD!!

Paulo Edson Cunha disse...

caro anónimo das 23:04, apenas publiquei o seu comentário porque não sei a quem se refere quando diz "o assalariado do Boletim 2", até porque essa "da mediocridade de uma certa imprensa" que se atreveu a dar cobertura ao PSD!!" já a ouvi da boca de tanta gente "insuspeita" que não gosta nada, mas mesmo nada, de quem dá cobertura às coisas que o PSD faz. Aliás, penso que estão mais incomodados com uma certa pessoa do PSD do que com o PSD em si, mas isso já é outra conversa...

Anónimo disse...

não não sabe... ou será que está com a vista desfocada?

Anónimo disse...

O Paulo Edson é o aldrabão que primeiro disse que nada tinha a ver com o pedido de auditoria e agora afirma que foi o pai da criança. O Paulo Edson é o mesmo aldrabão que disse ter-se mostrado indgnado por ter-se cruzado com a campanha da CDU, quando se limitou a desejar boa sorte à deputada Paula Santos que ele afirmou não ter visto nessa mesma acção de campanha.

Anónimo disse...

As contas do Estado Português são auditadas semestralmente por ua entidade independente que é o Revisor Oficial de Contas? A resposta é não. Por isso a comparação entre a auditoria pedida por estas personalidades às contas do Estado Português e a auditoria pedida pelo "Obama da Praia dos Tesos" às contas da Câmara Municipal do Seixal só demonstra a ignorância de quem faz a comparação.

Condessa Mazarrá disse...

Mais uma vez volto a referir. Porquê tanto alarido e indignação num pedido de auditoria? Peço “desculpa”, mas provavelmente… também devo ser muito “ignorante” para achar que a transparência é a melhor formar de resolver dúvidas. E sinceramente, acho que não é uma questão de se ser ignorante, mas sim de não querer ficar na ignorância. Acho muito bem, que não queiram passar cheques em branco. Todos sabemos que não se deve fazê-lo em ocasião nenhuma, portanto… com as contas da câmara não teria de ser diferente.
Pode é não convir a alguém… mas isso… já são contas de outro rosário.
E são mais do que compreensíveis os motivos para o pedido de auditoria, agora, se o Sr. Presidente não os consegue entender… temos de chegar a uma conclusão… alguém por aqui é ignorante e não deve ser quem pediu a auditoria… N sei se me faço “entender”! LOL

Anónimo disse...

ai que aflitas que andam as passarocas!!!
já agora meninas, se a praia é dos tesos a culpa é de quem??
ai as meninas!!!
voçes já nem mentir conseguem!! não admira, com o alfredo a saltar fora, o jaquinzinho proibido de se candidatar pelo nucleo duro (houve um muro a mais lá pra beja...) agora é ver os ratos a ver se safam a pele.
Ai leonardos e outros avençados afins, agora é que vai doer!!!

Anónimo disse...

Para a maioria comunista dos edis da nossa praça, continuar a cultivar a imagem que pretendem dar de ser de um rigor que não é mais que aparente e de uma lisura a toda a prova, continua a ser o lema.
Para eles, nos outros só existem incoerências, aliás, sempre encontram graves a estrondosas incoerências nos outros, mas quando lhes são requeridas provas das qualidades que ostentam logo agem como se de blasfémias se tratassem.
Estranhos casos de “fé” destes nossos”comunistas” , quando a ideologia que dizem perfilhar tem uma estrutura muito particular, tão funcional como um vocabulário técnico, uma linguagem que pretende ser uma linguagem do conhecimento.
Interroguemo-nos então pelos motivos que no caso concreto exigem o postulado da ignorância, reconstruindo a situação à duvida de se pôr em causa o seu direito divino de serem impolutos.
É certo, que só pela ignorância podem reconstruir a situação negando aos outros a capacidade de expressar exigências inteligíveis, ou entender as exigências formuladas por outros reconvertendo a realidade, pela incapacidade se manterem no exercício cargos públicos como politicos, outorgando-se como “eleitos” tão sómente beneficiários de direitos em púlpitos que os excluem de deveres e obrigações.
Que comunistas são estes que nos continuam a remeter para a manipulação de ideias de modo a tornar o seu discurso integrado na ordem do dia, e nos fazem pasmar numa VERBORREIA SEM SENTIDO?... e,... ou com que sentido?

Para estes políticos esta retórica é indispensável, sabendo eles que ela se desenvolve em circuito fechado, recorrendo à estratégia de reduzir tudo a um nivelamento das responsabilidades, servindo-se do Estado prisioneiro de processos que obedecem a uma coerência formal.
Quando se não pode ser contra a forma é-se contra o conteúdo.
Mas tenhamos fé, neste caso em concreto e não só das contas autárquicas, mas também acreditemos na lisura e no virtuosismo dos processos que resultaram na transferência de todo o património imobiliário municipal para a posse de privados.
Tenhamos fé em que o “capital” não capturou toda a estrutura criada pela maioria comunista da nossa edilidade, e que ainda nos restam como propriedade municipal, as ruas, os passeios e as “rotundas”... tenhamos fé... e muita...
Até quando nos quererão fazer pensar que tendo fé, poderemos continuar a acreditar...que para circular nas “nossas”estradas municipais, a maioria comunista que nos governa nos dirá que estamos isentos de pagar portagem.

Anónimo disse...

O que eu gostava de saber é, quem são os os malandros, e o que realmente de grave fizeram, só para eu saber.