quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Comente para o «Comércio...» - Irresponsáveis!?

Por ser pertinente, actual e do interesse comum, deixo-vos esta carta de um Pai,representante de uma Associação de Pais.
Pode igualmente comentar esta situação, à qual darei o devido desenvolvimento ainda esta semana.


Exmo Dr Paulo Edson;
Os três incêndios que deflagraram na ex-escola moinho de maré, em Corroios, trouxeram variados riscos, com consequências graves para a saúde pública devido ao amianto. Diariamente, cerca de um milhar de crianças e adultos, da comunidade educativa das duas escolas adjacentes, estão expostos a um risco não quantificado.
As medições efectuadas às fibras respiráveis (amianto e outras), solicitadas pelos pais, apresentaram resultados que merecem reflexão. As concentrações encontradas na biblioteca da EB 2,3 de Corroios, na sala dos professores e ginásio da EB 1 D. Nuno Álvares Pereira andam em metade da concentração máxima de fibras a que podem estar expostos os trabalhadores, durante a sua actividade profissional, devidamente equipados.
Em Portugal não existe legislação que proteja pessoas passivamente expostas ao amianto. Alguns países europeus, (Luxemburgo, Alemanha e Reino Unido) não conhecendo os valores limite de exposição abaixo dos quais não haja riscos cancerígenos, fixaram um valor como limite mínimo da concentração de fibras de amianto em suspensão, dez vezes inferior ao aludido na legislação portuguesa. Daí ser curial que as autoridades públicas passem a considerar nas suas apreciações estes valores mínimos e não o que está legislado para os trabalhadores. Estamos a falar, no concreto, de crianças em fase de crescimento mais vulneráveis a doenças.
Das concentrações encontradas, aguardo que as autoridades responsáveis pelo sistema educativo cumpram o seu dever, adoptando métodos preventivos e de descontaminação para reduzir as concentrações das fibras detectadas, nas salas, a valores próximos de zero.
Gostava que comentasse este problema.
Com os melhores cumprimentos.
Carlos Morais, pai de um aluno.


Esta semana volto a um tema já aqui abordado neste blogue.

A propósito de um novo e-mail do nosso concidadão "Konami", cuja correspondência passo a transcrever e que vos convido a comentar, e que a sua publicação acontecerá na próxima edição, sexta-feira, no jornal "Comércio do seixal e de Sesimbra".

Como habitualmente, pode comentar também no blogue do Vereador Samuel Cruz, no Blogue "Rumo a Bombordo" (http://rumoabombordo.blogspot.com/).


Agradeço a confiança demosntrada e tentarei abordar o tema na próxima A.M.

"a resposta da camara é no minimo vergonhosa, então não podem fazer nada pelos passeios do seu concelho????
este país é um espectaculo." - Estou a citar o Konami. Ora leiam:

um abraço

----- Mensagem encaminhada de maria.batista@cm-seixal.pt -----
Data: Wed, 28 Jan 2009 10:58:15 -0000
De: - C.M. Seixal" < @cm-seixal.pt>
Assunto: Postes na Rua Zita Duarte
Para:


Solicitou-me o Sr. Vereador do Pelouro do Desporto, Infraestruturas Municipais e Acessibilidades, que o informe do seguinte:


Em resposta ao seu e-mail datado de 23 de Dezembro de 2008, referente à remoção de postes do passeio pedonal, na Rua Zita Duarte - Redondos - Fernão Ferro, serve o presente para informar que de acordo com vossa reclamação, recebida via e-mail, o local referido em assunto remete para uma zona de reconversão urbanística onde foram efectuadas primeiramente as construções das edificações e posteriormente as infraestruturas, pelo que não é possível salvaguardar as medidas regulamentares previstas na legislação para passeios e faixas de rodagem, nem mesmo garantir o abastecimento de energia eléctrica e outra sob a forma de rede subterrânea.

Temos ainda a informar que foi efectuada em Novembro de 2007, uma resposta relativa ao mesmo tema, na qual já se havia informado que esta zona se encontrava inserida no Plano de Pormenor dos Redondos (1ª Fase), sendo uma zona que apresenta condicionantes devido ao seu processo de reconversão. Na mesma informação foi ainda indicado o ofício enviado à PT (solicitando a alteração dos postes).

Resta-me agradecer a participação e manifestar a nossa disponibilidade e interesse em analisar qualquer reclamação ou sugestão que V. Exa. entenda apresentar-nos.

Com os melhores cumprimentos,


O Vereador do Pelouro do Desporto,
Infra Estruturas Municipais e Acessibilidades

Joaquim dos Santos







RM/JB
28-01-2009



----- Finalizar mensagem encaminhada -----




konami1974@sapo.pt para mim
mostrar detalhes 29 jan (6 dias atrás) Responder


agradeço desde já a sua atenção a este assunto.
gostava de o informar que o programa nos por ca da SIC, já cá veio fazer uma reportagem sobre o assunto, não tendo ainda passado no programa.
Este problema é na rua inteira, ao todo são 4 ou 5 postes no meio do passeio.
AInda respondi a este email da camara com este texto:


transmita ao sr. vereador que esta reposta é uma vergonha e que é triste quando uma câmara municipal nem nos passeios tem poder ou vontade de mudar as coisas.
Não se preocupem que no próximo acto eleitoral, vou com certeza lembrar-me de vocês.

Mas o email vem sempre devolvido, como não recebido.

maiis uma vez, estou a transcrever a opinião deste munícipe.

Tire você as suas conclusões

10 comentários:

Anónimo disse...

agradeço a sua atenção a este assunto.
Realmente é vergonhoso esta inércia.
konami

Seixalense Atento disse...

A resposta do Sr.,. Vereador Joaquim Santos, ilustra bem a postura do mesmo, ao ser mais uma vez demonstrada a incompetência da câmara e do seu vereador.
Aliás quem colabora mais directamente com o Sr. Vereador, reconhece-lhe facilmente falta de competência, e falta de conhecimentos suficientes para exercer o cargo que ocupa.
Por outro lado apresenta uma postura de gaiato rufia.
Infelizmente é o executivo de câmara que temos, mas só até Outubro.

Daniel Geraldes disse...

Consta que o Vereador Joaquim Santos é alentejano de Beja, por isso faz sempre as coisas muito devagar.

Manelito disse...

Mas se é de Beja não parece, até porque conheço pessoas de Beja bastante competentes, e esse senhor vereador é bastante incompetente, nem parece de Beja.

Anónimo disse...

Já diz o ditado: "depressa e bem, não há quem", mas, devagar e mal, não parece normal.

O problema é que no Seixal estão habituados a uma impunidade total. Mas, como alguém já disse, só até Outubro.

Anónimo disse...

Drº Paulo Cunha como advogado devia conhecer a Lei das AUGIS! Se conhecesse sabia como se processa uma Reconversão Urbanistica, e que a Câmara Municipal recepciona as infra-estruturas no final. Mas isto tudo era se soubesse! Parece que como advogado conhece muito pouco, talvez seja porque perde muito tempo a estudar o OBAMA e depois estuda pouco direito...

Paula Santos disse...

Caro Dr. Paulo Edson Cunha, cada vez mais se pode verificar que as pessoas recorrem a si para ajudar a resolver problemas que as instituições com competência, obrigação e dever não resolvem, sendo em muitos casos geradoras de problemas e não a solução. Cada vez mais se nota que as pessoas se sentem desprotegidas e desamparadas por isso procuram quem lhes dê voz e as ajude.

Continue o seu serviço civico, continue a lutar pelos interesses da população.

Excelente o trabalho que tem feito!
Nunca ouvi falar tanto do Seixal como agora. Parabéns pelas reportagens da SIC, TVI, jornais nacionais e locais e hoje até na revista flash. Tem estado muito bem.

Daniel Geraldes disse...

Se não for o PSD a ouvir as pessoas do Seixal, infelizmente acho que ninguem o faz.

E é nestas pequenas coisas que se nota que o Dr. Paulo Edson está a mudar o Seixal, neste momento existe um Presidente da CM Seixal virtual que é o Alfredo Monteiro, e existe o verdadeiro Presidente da CM Seixal que é o Dr. Paulo Edson.

Rumo à Vitória em 2009

Graciete disse...

Tens razão Daniel pois sabemos que os outros não se conseguem a ouvir a si próprios quanto mais ouvir os outros.
Isso é uma maçada a que só o Paulo consegue meter mãos.
O apoio popular que tem tido e o acolhimento que a comunicação social tem dado diz tudo e deixa os adversários a falarem sózinhos.

konami disse...
Este comentário foi removido pelo autor.