quarta-feira, outubro 15, 2008

tema da Semana do "comércio...": SEIXAL GRAFFITI - VANDALISMO INSTITUCIONAL ???

Com a devida vénia, o título deste post é retirado do Blogue A-Sul (Aqui ) com a diferença que nesse blogue é uma afirmação e neste a mesma frase é uma interrogação aos leitores.
Um tema abordado no blogue da JSd, no Blogue "Hekate," no "Rumo a Bombordo" do meu colega de crónica semanal (que vos convido a visitar e comentar - Aqui) e, simultaneamente vereador da CMS, e, sobretudo, um tema que leva cerca de 120 pessoas a comentar no ,"A-Sul", tem obrigatoriamente de merecer o destaque para ser discutido no jornal.
Eu diria que, mais do que o número de comentários, o que me surpreendeu foi a forma apaixonada, muitas vezes irracional, com que os dois lados esgrimiram argumentos.
Como habitualmente, reservo-me o direito de apenas emitir a minha opinião no texto a ser publicado no jornal, mas não posso deixar de colocar à disposição de quem quiser comentar, que o faça até quinta-feira.
No fundo o que está em causa é sabermos se a iniciativa da Câmara Municipal ao promover este "SEIXAL GRAFFITI" é merecedora de aplausos ou se, ao invés, está a institucionalizar o vandalismo, que alguns afirmam estar associado ao Graffitismo.
Será também interessante saber se, na sua opinião, estamos perante uma forma de arte, como li em muitíssimos comentários, ou, ao invés, estamos perante um mero acto de vandalismo, disfarçado de arte, ou do que lhe quisermos chamar.
Bons comentários

13 comentários:

Anónimo disse...

Gosto da abordagem que faz do tema.
A Câmara não devia patrocinar estes imbecis.
Tenho dito

Rui Belchior disse...

Esta será sempre uma matéria que depende da sensibilidade de cada individuo, quanto a mim, entendo que fomentar e patrocinar este tipo de actividade acarreta riscos...senão vejamos, se é verdade que existem por aí verdadeiros artistas que nos locais próprios dão largas à sua imaginação, criando de forma positiva, por outro lado e infelizmente, há por aí muito más interpretações deste tipo de iniciativas, basta atentar para a nossa volta e logo vamos encontrar puros actos de vandalismo, que constituem uma verdadeira praga, e raras são as paredes, entre outros locais, desde os comboios a camionetas a lojas etc..etc..porque o problema está precisamente nos aspirantes que se querem iniciar nesta "arte", e como em todas as artes, tem que se ver, se realmente temos jeito para a coisa.....claro que há muitos que não passam de uma primeira experiência, outros vão refinando a sua habilidade, com treino e persistência...o pior é que as telas que são utilizadas não sempre as do Seixal Graffiti....e quem paga é o zé povinho, pois que se saiba, não há, ainda.. nenhuma iniciativa para apagar os "milhões" de riscos que poliferam por essas paredes do concelho... e que só se retiram com auxilio a materiais especificos e despendiosos,concerteza há muitos Seixalenses que agradeceriam.

Rui Belchior

Ponto Verde disse...

Acho que a Câmara faria bem um dois em um, explico:

Há uma iniciatica da autarquia para promover "artes plásticas" que coloca na avenida entre as Paivas e a Cru de Pau, vários painéis de dimensões consideráveis mas de quase nula valia artistica na sua grande maioria.

Porque não utilizar esses painéis para promover o graffiti , em forma , local e tempo definido essa que alguns consideram uma "Arte" ?

E já agora aproveitar para limpar o concelho de todas as pinturas que tornam cada vez mais feias as nossas ruas, e para pintar as paredes do património construído ao abandono, como é o caso da Quinta da Trindade.

Um investimento no turismo implica uma tal dupla abordagem , porque o graffiti é um fenómeno urbano bem mais complexo que uns riscos na parede.

Davide Ferreira disse...

Creio que o Graffiti pode ser uma forma de arte... agora não concordo que se pinte fora dos locais previamente estabeleciados para o efeito. Prédios, Espaços Públicos, Propriedade Privada entre outros devem ser mantidos livres de Graffiti sob pena de se aumentar o clima de insegurança que já se vive actualmente.

Para quem não sabe fazer Graffiti em algo que não é nosso e sem autorização do respectivo dono é crime, e como tal as autoridades devem estar atentas a este tipo de crime, não apenas pelo dano provocado mas tambem pelo sentimento de impunidade que se instala e que leva a prática de crimes de maior gravidade.

Em lisboa por exemplo, deu-se anteontem inicio à limpeza de grafitti:
http://ultimahora.publico.pt/noticia.aspx?id=1345890&idCanal=59

Aqui no Seixal a Câmara Municipal faz questão de incentivar a sua prática... cada um tire as suas conclusões.

Vasco Pereira disse...

Não posso deixar passar em branco mais uma iniciativa do nosso executivo camarário, a 5.ª edição do Seixal Graffiti, mais propriamente, ao incentivo do uso de expressão através do grafiti.
Uma iniciativa que decorreu no nosso concelho nos dias 10, 11 e 12 de Outubro do corrente ano, iniciativa essa financiada por a CMS, ou seja, por os impostos dos contribuintes do nosso concelho. Penso que seja uma questão a ponderar: como andam a ser aplicados os nossos impostos no Seixal?
Em declarações à agência LUSA, a vereadora Paula Santos justifica a iniciativa afirmando que “ ... incentivar os writers (comum designação atribuída a quem faz graffities) a pintarem em espaços organizados, que não incomodassem ninguém ...” continuando assim, “... Decidimos promover o Seixal Graffiti quando nos confrontámos, em vários espaços urbanos, com vários graffitis, alguns deles em habitações e outros em espaços públicos...” acrescentando que, “Nós não concordamos com actos de vandalismo e, por isso, considerámos que os jovens poderiam ser enquadrados de uma forma organizada”. Conclui-se assim com as declarações da vereadora Paula Santos que, “Quando não os consegues vencer, junta-te a eles”, ainda que lá diga o velho ditado “Diz-me com que andas e eu dir-te-ei quem tu és”.
Será que a CMS não percebe que iniciativas destas servem para dar mais força a uma coisa de que apelidam “ARTE URBANA”? será que o executivo camarário não se dá conta de que financiar iniciativas deste calibre é esbanjar o dinheiro dos contribuintes, com problemas actuais de muita importância por resolver, exemplo disso, a falta de segurança em que vivemos diariamente no concelho do Seixal; atitudes destas são uma afronta a todos os munícipes. Vejam o estado em que estão as paredes onde decorreu o evento! admirem o que os nossos filhos andam a pensar para o futuro do nosso concelho! Será isto que os contribuintes querem para o Seixal?
Garanto-vos que não é o futuro que eu quero para o nosso concelho

Vasco Pereira

David Veloso disse...

Repito o meu comentário. Os eventos têm sempre por base mostrar e incentivar o objecto do evento. Uma exposição de arte visa cultivar a população; uma mostra de agricultura visa estimular a agricultura; uma mostra de turismo visa estimular o turismo. Uma exposição de graffiti visa o quê?

Será que a vereadora acha que vai incentivar os meninos a pintar as paredes de uma só cor? É uma exposição de civismo? Porque não faz uma exposição de droga, dizendo que é contra o narcotráfico para ver se as pessoas só se drogam nas exposições legalmente organizadas?

Ser inteligente e irreverente não é ter ideias ..... isso é ser idiota ..... ser inteligente é ter ideias que tenham utilidade.

A nossa liberdade termina onde começa a dos outros.

Cumprimentos,
David Veloso

Carla Martins disse...

Com todo o respeito pela arte, incluindo esta, estamos perante o limite dos limites. Insensatez absoluta! Só num regime absolista e paralemente omde impera a insanidade pode assistir a estas situações.

Dr. Paulo Cunha, é um serviço que presta à comunidade, candidate-se e ponha um travão nisto tudo.

Anónimo disse...

Dr. Paulo Cunha faça aliança com o PS e candidate-se para nos libertar destes autarcas que sofrem de insanidade mental. Nós população temos direito a ser felizes no sítio onde vivemos e estes senhores da CDU não nos deixam viver felizes. Cada atitude que tomam, cada iniciativa que têm enfermam de falta de bom senso, de juizo diria eu até. Dr. Paulo Edson nós precisamos de si a gerir o nosso território. É com políticos como o senhor que se terá forçosamente de viver no futuro. Chega de incompetência.

zé maria disse...

Não é por nada, mas acho que vocês são uns frustados do caraças. Não tem mais nada para se debruçar? Repetem a mesma coisa não sei quantas vezes. Basta! Mudem de cassete. Já agora. Por acaso o outdoor da JSD junto à ponte da fraternidade está devidamente autorizado? O proprietário do terreno , que é o mesmo do tal muro onde os vermelhos andaram a pintar, autorizou a colocação do referido elemento publicitário político? Já agora gostava que alguém me informasse sobre isto.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Zé Maria desculpa dizer-te mas és um bocado básico. Então não está dito que foi a comissão nacional de eleições que autorizou e ainda perguntas se o outdoor está autorizado? és um bocado dahhahhhhh

zé maria disse...

Caro jovem anónimo, por acaso o outdoor que refere não será o que se encontra na rotunda de Corroios? E já agora a CNE não pode dar pareceres à colocação de outdoors em terreno privado, não é assim caro anónimo?
Cumprimentos.

zé maria disse...

Dahhahhhhh??? Dahhahhhhh digo eu!!! seu anónimo.
Você não tá vendo não?
Eu tou falando do outdoor junto à Ponte da Fraternidade, ligação Arrentela Amora, sob o Rio Judeu. Volto a questionar, o Proprietário do terreno e das instalações da Fábrica de Lanifícios, deu autorização à JSD ou à empresa que instalou o outdoor, para o fazerem?
Não falei em relação ao de Corroios, o tal que a CNE deu parecer favorável.
Tchau e passa bem.

Marta Guerreiro disse...

O Graffiti – Arte Urbana, para muitos de nós ainda é considerado um simples acto de pintar uma parede, com intuito de vandalizar. A verdade é, que cada vez mais há artistas a praticarem este tipo de arte ou simplesmente a inspirarem-se nela para enriquecer os seus trabalhos, desde o design gráfico à moda.

Assim sendo, gostaria de o convidar a aparecer dia 16 de Junho do corrente ano, pelas 18horas na Biblioteca da Universidade Nova de Lisboa, Campus de Caparica, para a inauguração da Exposição/Intervenção/Debate Terroir Graffiti.

E partilhe da sua opinião!
Pois, poderá participar no debate que reúne artistas, investigadores no campo das ciências sociais, juristas e outras individualidades que trabalham sobre o tema da Arte Urbana.

Poderá também usufruir de uma exposição que integra uma dimensão extramuros, onde um Writer será acompanhado na sua actividade por uma equipa de filmagens que produzirá um documentário, outra intramuros que consiste na pintura de um mural do Campus de Caparica e uma terceira indoor, instalação efémera de artes plásticas.


Local: Biblioteca UNL no Campus de Caparica – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
Data: 16 de Junho a 11 de Setembro de 2009
Horário: 16 de Junho a 19 de Julho, 2.ª a 6.ª, das 09:00h às 20:00h.
20 de Julho a 11 de Setembro, 2.ª a 6.ª, das 09:00h às 17:00h.
Tel. 21 2947829 / 21 2949677

Para mais informações: http://biblioteca.fct.unl.pt
http://bibliotecaunl.blogspot.com/

Como cá chegar:
http://www.fct.unl.pt/candidato/como-chegar-a-fct