segunda-feira, janeiro 12, 2009

"Conta-me como Foi" no "Equador"

Com o fim-de-semana prestes a terminar, após ter "conquistado" algum descanso com a família, merecido, digo eu, ainda consegui chegar a casa, depois de ver o meu Benfica (sim, assumo, desta vez fomos claramente beneficiados) e ainda a tempo de ver uma série que deveria ser vista por todos os Portugueses - "Conta-me como foi".

A série já está na segunda série de episódios e relata a vida de uma família antes do 25 de Abril. Para além da excelente interpretação dos seus actores, o que me leva a abordá-la, e recomendá-la neste espaço, prende-se com a forma como a mesma retrata uma época do nosso País, como demonstra, e se calhar justifica certos comportamentos da nossa sociedade, ainda demasiado tacanha e "atamancada" em conceitos pouco consentâneos com esta era da globalização em que vivemos.

Consegui, em simultâneo, gravar uma outra série que passa na TV, refiro-me ao "Equador", retrato fiel de uma outra era portuguesa, e que para além de uma excelente interpretação, montagem, guarda-roupa, tem sido absolutamente fiel a um dos melhores livros/romances portugueses contemporâneos (para mim, a par de "A Filha do capitão").

Ou seja, eu que quase não vejo televisão, muito menos séries portuguesas, tenho coincidentemente à mesma hora dois dos poucos programas de que gosto muito.

Uma volta pela blogosfera local, permitiu-me constatar que os partidos à esquerda do PSD estão com muito sentido de humor (o que é de saudar), que a insegurança domina a agenda local, e bem, digo eu, pois a acumular com diversas notícias deveras preocupantes, o PSD Seixal viu a sua sede novamente assaltada (já lá esteve a nossa CSI, o que significa que a nossa mundialmente aclamada PJ pode ajudar a desvendar o - novo - crime).

Mas esta semana há um blogue de leitura obrigatória - o "Pensar o Seixal" (Aqui), pois os seus últimos posts são mesmo de LEITURA OBRIGATÓRIA, uma vez que se propõe fazer uma análise crítica, objectiva, indiscutível sobra as GOP´s deste executivo comunista.
É engraçado que, uma das suas conclusões (que o executivo comunista deve pensar que ninguém lê aquele documento), foi a mesma que me ocorreu quando eu estava a analisar o último documento disponibilizado pela Câmara.

Recordo-me que o mês passado quando estava a analisar o documento onde constam as GOP´s , tinha os dois "calhamaços" abertos (o de 2008, para 2009, e o de 2007, para 2008) e, a determinada altura estava a ler um deles, pensando ser o de 2007 (para o ano de 2008) porque estava a reconhecer todos os projectos lá constantes.

Contudo, estava a estranhar o facto de não ter sublinhado nenhuma página, o que só se explicou quando verifiquei que afinal estava a ler o prefácio para 2009, mas como era ipsis verbis (pelo menos nessa página) igual ao do ano anterior, tinha-me induzido em erro, causando-me uma sensação de deja vu, quando estava a analisá-lo.

Estou certo que perante a reflexão a que a análise da leitura dos posts que recomendei obriga, todos passarão a compreender melhor porquê que digo que a CDU no Seixal é muito boa...mas em publicidade
Aproveito para deixar a recomendação para visitar este post (Aqui) da JSD Seixal, igualmente a propósito desta mesma temática (a qualidade da CDU...em publicidade).

1 comentário:

Ruca disse...

Duas grandes séries, depois grandes livros, épocas diferentes, mas..., infelizmente há problemas estruturais que são comuns e subsistem, parece dificil mudar, não?

Felicito-o pelo seu trabalho a nivel local. O País precisa de mais Paulos Cunhas.