segunda-feira, novembro 10, 2008

PSD Seixal na SIC




















Para acederem ao vídeo, basta carregarem no título do post.

Esta foi a mensagem que passou para todo o país!
O PSD diz que, tal como nos Estados Unidos, não há vitórias impossíveis.

Obrigado a todos os que nos ajudaram a passar esta mensagem. Temos de ter esperança, pois vivemos tempos de mudança, e essa mudança mais tarde ou mais cedo chegará ao Seixal.

10 comentários:

Jorge Pietta disse...

Boa... se eles têm o Boletim Municipal nada como ter 10 segundos na SIC

Anónimo disse...

Grande vitória dos estrategos desta campanha.
Parabéns.
Estes 15 segundos na SIC valem milhões em publicidade.

Anónimo disse...

Grande vitória dos estrategos desta campanha.
Parabéns.
Estes 15 segundos na SIC valem milhões em publicidade.

Ana Luisa Oliveira disse...

Parabéns Paulo! Excelente marketing politico. Excelente sentido de oportunidade do momento.
Continue, tem capacidade e potencial. O país precisa de pessoas com o seu perfil politico. Lute com toda a força que já demonstrou ter.

Davide Ferreira disse...

Este outdoor da-nos uma oportunidade, agora temos de a aproveitar e ir para fora mostrar as pessoas que podem mudar e que existe uma alternativa forte, com ideias: PSD

Anónimo disse...

A verdade é que o PSD/Seixal tem capacidade para mudar o concelho, basta acreditarmos todos que conseguimos....
Parabéns
E.O.

Ponto Verde disse...

Comentário também deixado no blogue da JSD Seixal.

Como se prova, nesta época da Informaçao e da Imagem, o outdoor do PSD referido no post foi de uma grande oportunidade na promoção (arriscada) assumida pelo Dr.Edson Cunha, da não abstenção como arma de mudança e de exercicio de cidadania e democracia.

Só quem está bem instalado no Status-quo actual e não aceita a pluralidade ou a diversidade se pode sentr incomodado, apesar de o incómodo se traduzir no sucesso da mensagem, contraditório mas verdadeiro.

Para além disso tem sido interessante e tema num proximo post do a-sul, a Obamofobia demostrada pelo PCP nesta era pós BUSH , até parece que estão com saudades.

Jorge Pietta disse...

http://porcatudonamesma.blogspot.com/2008/11/o-seu-voto-importante.html#links

Anónimo disse...

Muitos Parabéns...a reportagem na revista visão só reforça a ideia que todos temos em si, que se consegue mudar.
E.O.

Anónimo disse...

Boa tarde:
Estou aqui para manifestar a minha total solidariedade com os moradores e comerciantes que dependem do acesso à Rua Estácio da Veiga. Concordo absolutamente com os motivos que invocam. Têm razão!
No entanto estes Senhores não podem, nem devem, esquecer-se que a maioria Camarária já decidiu bloquear o cruzamento, e não vai querer voltar atrás com a má decisão que tomou.
Senão vejam como após esta polémica a Câmara se despachou a colocar lancis, ignorando por completo a vontade popular Sim que isto de ser o Povo quem mais ordena já não é o que era…Agora ordenam eles e pagamos nós.
Depois a maioria da Camara acha que não vão ser meia dúzia de assinaturas num qualquer abaixo-assinado que irão fazer mossa. Esquece-se é que são meia dúzia de centenas ( isso mesmo, com dois zeros )!
É, portanto, um movimento muito significativo e representativo da vontade popular.
Há também quem defenda a perigosidade do cruzamento. Também têm razão!
Mas se todos os cruzamentos e estradas perigosas fossem simplesmente fechadas como forma de evitar acidentes, então teríamos que fechá-las quase todas. Seria a solução mais simples. O que não tem cura mata-se e pronto, problema resolvido.
A sugestão do acesso através da rua Gen. Humberto Delgado, que já vi defendida algures por ai, é absolutamente impensável. Então ainda ninguém reparou que essa rua, estreita, tem estacionamento permitido em ambos os lados, em toda a sua extensão, e que para além disso existem, sempre, mas sempre, automóveis estacionados em segunda fila, de ambos os lados? Isso seria o caos total!
Há muitos anos, quando o cruzamento da N10 com A Estácio da Veiga nasceu, não se tomaram medidas preventivas. O cruzamento nasceu torto e defeituoso, cheio de maleitas e nunca o trataram. Foi andando, doente, e nunca lhe ligaram. Mas agora em vez de recorrer à cirurgia e corrigir o defeito, decidiram “os clínicos”, numa atitude preguiçosa e incompetente, matá-lo. Matar é crime. Tratar e recuperar seria mais bonito e louvável…
Pois, na minha modesta opinião, julgo sinceramente que a solução para este caso não passa de modo algum pelo encerramento/morte do cruzamento, mas sim pela sua correcção/tratamento. Há formas de o fazer, assim se queira.
Aos cidadãos lesados com esta decisão quero lembrar que os lancis colocados, traiçoeiramente e a toda a brida, apesar das suas solicitações e justos motivos invocados, podem sempre tombar e ser removidos. O Muro de Berlim era maior, mais antigo e também caiu!
Força! Não desistam !