sexta-feira, novembro 14, 2008

Posição do PSD sobre cruzamento na EN, junto à Galp - Fogueteiro

Anteriormente tinha prometido que, face à carta que me tinha sido enviada, depois de ouvidas as explicações da Câmara Municipal, dos próprios munícipes e da Estradas de Portugal, o PSD tomaria uma posição.
Face à urgência, uma vez que a obra está a decorrer, não nos sendo possível esperar mais para tomarmos uma posição, apresento o presente comunicado, que ainda hoje será divulgado para a comunicação social.
Por outro lado, tentaremos, isolados, ou junto da população, Câmara Municipal e representantes dos partidos representados na Assembleia Municipal e da Junta e Assembleia de freguesia competente, e quem connosco quiser participar, instar as Estradas de Portugal a encontrar a melhor solução, técnica e que não prejudique a população:
A Comissão Política do PSD/Seixal manifesta total compreensão e solidariedade para com os moradores e comerciantes afectados pela decisão de bloquear o acesso à rua Estácio Veiga, no Fogueteiro. Embora cientes das razões de segurança que a motivaram, estamos certos que haveria forma de minorar os inconvenientes de tal decisão comporta, não só para os moradores e comerciantes do bairro dos Lírios/Fogueteiro mas, para todos os que utilizavam esta saída da nacional para escapar aos congestionamentos de trânsito que ali se registam diariamente. Impedir o acesso à rua Estácio Veiga, acentuará a guetização de uma área já de si esquecida pela autarquia e, contribuirá, inevitavelmente, para o avolumar do congestionamento do trânsito em toda a área do Fogueteiro-Paivas, situação que se tenderá a agravar ainda mais quando as urbanizações previstas para aquela área se concretizarem.O PSD/Seixal manifesta a sua total disponibilidade para colaborar na resolução deste problema em conjunto com as entidades responsáveis (Estradas de Portugal e C. M. Seixal) e atendendo a que o corte da referida via não é a única solução para o local - a implementação de um sistema de semáforos temporizados ou de uma rotunda poderia solucionar os problemas de segurança sem agravar a entrada no Fogueteiro.O PSD/Seixal vem ainda solicitar esclarecimentos relativamente ao papel da CMS neste assunto uma vez que as afirmações do sr. Vereador Joaquim Santos são desmentidas por um ofício da Direcção Geral de Estradas datado de 7 de Novembro último onde se lê “…que a colocação fisica do separador central, com o inerente fecho do acesso a essa rua de viaturas provenientes de Sesimbra/Lisboa/Setúbal, foi solicitada pela Câmara Municipal do Seixal…”. Assim sendo,o PSD/Seixal, não pode deixar de lamentar a atitude cobarde da C.M. Seixal em mais esta situação pois, após os alertas dados pelos movimentos cívicos de que a blogosfera fez eco, o responsável pelo pelouro procurou empurrar o ónus para as Estradas de Portugal branqueando, mais uma vez, a responsabilidade da autarquia.

4 comentários:

Alice Gama disse...

Em nome dos moradores da Zona afectada, pela infeliz decisão da Câmara que à revelia de tudo o que temos lutado, já fechou, de forma autoritária e avessa ao diálogo o cruzamento em causa.
Contamos consigo e com todas as pessoas de bem!
Muito obrigado pelo apoio manifestado.

O Tipo que gostava de ser como o Belo Miro disse...

PROPOSTA DE SOLUÇÃO DUM CIDADÂO ATENTO.

Então é muito simples, faz-se assim e resolve-se o imbróglio duma vez por todas:

A CM do Seixal vende o Bairro dos Lírios ao Belmiro de Azevedo e soluciona-se o problema duma assentada.
O bairro será imediatamente alvo duma atenção muito especial e beneficiará rapidamente dum face-lift profundo e urgente. Passará imediatamente a ter belos espaços verdes, que as crianças e os idosos poderão desfrutar à sombra amiga dos pinheiros – com nemátodo pois claro – que a sonae trará directamente de Tróia. É uma carência actual.
Ele transformará o espaço numa espécie de “resort” com vistas privilegiadas para o Rio Sul, e quem sabe com uma ou mais passagens aéreas para peões e tudo, directamente ao dito. Nada será deixado ao acaso.
Quanto aos moradores, é fácil: a rapaziada do Bairro, que por acaso são uns chatos, vai lá tomar o seu cafezito matinal, aproveita e faz umas compritas no Continente e sempre sacam uns talões de desconto nos combustíveis. Sim porque agora, com os quilómetros que passam a fazer a mais, sempre vão dar muito jeito.
E os comerciantes do bairro? Eh pá, que vão vender castanhas assadas ou contrafacção para a porta do shopping (também pode ser “band-aids”). Afinal continuam com o mesmo estatuto de empresários e a ter o seu próprio negócio. Só mudam é de ramo. E até é melhor porque deixam de ter encargos com as finanças e segurança social. Depois é mais saudável porque operam ao ar livre e ainda por cima são negócios do “toma lá, dá cá”, onde nem há fiados aos vizinhos e fregueses habituais, nem aqueles telefonemas dos tipos do banco a lembrar que a conta da firma está, outra vez, a descoberto.
Os desempregados…pois que não sejam preguiçosos e que aproveitem para ir gastar o subsidio de desemprego para o Rio Sul. Ou arrumar automóveis. Bom…também podem ficar em casa a tomar conta dos putos e a dar-lhes água quando eles chorarem de fome e o subsídio já tiver desaparecido. E depois, com a ajuda do “Magalhães”, sempre podem acompanhar e colaborar mais nas tarefas escolares dos infelizes. Isto, para não falar da sorte daqueles casais que passarem ambos, de repente, a não ter emprego? Vão ter todo o tempo do mundo para namorarem! Vão contribuir para o tão necessário aumento da taxa de natalidade deste País. Uau!
Por fim, à nova estrada conseguida após a conclusão iminente da mais recente obra de remodelação feita no cruzamento da discórdia há-de chamar-se no futuro – sim porque o povo há-de reconhecer o inquestionável mérito deste grande melhoramento - de Estrada da Concórdia.
Entretanto, no local do desaparecido cruzamento há-de construir-se um arco, à francesa, tipo Arco do Triunfo, mas maior, símbolo do orgulho Fogueteirense. As faces serão decoradas com enormes figuras dos autarcas da maioria e uma ainda mais colossal do Belmiro, esculpidas em alto-relevo. Um friso decorado com as várias insígnias do vasto império sonae rematará o monumento.
No terraço, os turistas poderão desfrutar duma vista fabulosa sobre um concelho deslumbrante, desenvolvidíssimo, com uma qualidade de vida extraordinária, onde nada falta ao bom do cidadão.
Uma obra-prima!
Depois, a partir do local mandam-se rasgar várias avenidas magnificas, cheias de charme e “glamour” em direcção ao shopping, que entretanto passará de 140 lojas para não sei quantas. Muitas, muitas. Bués…
É que o desenvolvimento do Seixal deve-se ao Belmiro que é um tipo fixe. É um autêntico cruzado do bem-fazer. Ainda ninguém percebeu isso? Bolas…
Ó pá, o homem é um autêntico missionário a quem todos devemos a construção dessa grande catedral que é o Rio Sul, local de peregrinação onde o Povão tem obrigação de comparecer amiudadas vezes.
Aliás, devota como é, a C.M. do Seixal, numa jogada de antecipação decidiu já, e muito bem, num gesto de reconhecimento, fazer passar por aquele local de culto a maior parte do trânsito.
É que andavam por ai uns artistas a cometer a heresia de cortar caminho pelo Bairro dos Lírios, mas bem se lixaram. Para esses não haverá mais desculpas para cairem na tentação de recorrer aos pequenos comércios, ranhosos e impuros daquele local, propriedade dum bando de miseráveis infiéis.
A Câmara pediu auxílio às Estradas de Portugal e zás, cortou-lhes as vazas! Tinha que ser, os tipos eram uns autênticos demónios. Desviavam caminho só para não passar no shopping, digo no Santuário. Foram condenados e pronto, é assim mesmo!
A C.M. do Seixal fez muito bem, não haja dúvida!
O resto, qual resto? Se houver a sonae resolve, não se preocupem com mais nada. Vivam descansadinhos. Durmam sossegados.

Conclusão:
Dito isto conclui-se que o Belmiro é que vai resolver isto tudo. Sem Belmiro não há desenvolvimento! O Belmiro merece tudo!
As coisas são muito simples, o problema é que o Povo gosta de complicar tudo. Não entende. É gente simples, trabalhadora e mal paga, pouco habituada a estas modernices. Não lhe levem a mal. No fim há-de agradecer a dádiva, vão ver.

Anónimo disse...

"atitude cobarde", senhor Doutor são estes os vossos argumentos?

Anónimo disse...

Sou como a maioria dos meus vizinhos, um ser pacifico, e que espero muitas vezes que façam as coisas por mim. Mas tenho acompanhado estes comentários, porque alguém me disse que eles estavam a acontecer nestes blogues. E passado este tempo, tenho de colocar esta questão. Não poderia haver aqui um comentário que nos esclarece-se, a nós moradores, o que é que a nossa CMS anda a fazer para resolver este assunto. Ou serão como o nosso governo em relação aos professores, ou mesmo em relação ao porto de Lisboa. Estão concerteza á espera que as pessoas que aqui vivem se calem, e aceitem o que já está feito. Sem cruzamento, sem iluminação, sem nada, este bairro agora está perfeito para aparecer nos jornais nacionais, e até nalgumas aberturas de telejornais. Esta é a nova forma de agir dos nossos governantes, o povo ladra mas não morde.