domingo, março 02, 2008

As Incríveis explicações do Sr. Vereador Carlos Mateus

Pois é, quando tomei a iniciativa de apresentar o requerimento á Câmara Municipal do Seixal sobre a retirada da rede de vedação do Parque Técnico da Câmara situado no Fogueiro, confesso que agi como sempre o faço (com a melhor das intenções).

Ou seja, tomo conhecimento da gravidade de uma determinada situação (no caso até foi na blogosfera, como logo assumi), averiguo a mesma situação e actuo, não só enquanto autarca que tem essa responsabilidade, mas também enquanto cidadão que ingenuamente tenta alertar a Câmara (não se vá dar o caso de eles não terem percebido a gravidade da situação).

E digo ingenuamente porque todo o desenvolvimento do processo o comprova, pois se por acaso a Câmara não soubesse exactamente o que se estava a passar a seguir a retirarem a vedação, depois da recepção do meu requerimento certamente iriam investigar, alterar o que tivessem por conveniente e quiçá, agradecerem a quem os avisou, numa curta missiva que lhes demoraria 2 minutos.

Mas, como todos sabem, resposta é uma miragem a que um dia poderemos aceder e, aquando da apresentação da moção, depois da inevitável defesa da posição do Grupo Municipal da CDU, que de tão parcial até veio reclamar que nada se passava, tivemos uma intervenção do Sr. Presidente da Câmara que, como é habitual, nada de objectivo responde (sempre que não lhe convém, está bom de ver) e a seguir assistimos a uma das defesas mais incríveis que já ouvi apresentar até hoje. Senão vejamos, o Sr. Vereador da tutela, Carlos Mateus, não se mostrou arrependido da decisão tomada e afinal, pasme-se, sabia perfeitamente da insegurança a que votou aquela zona, pois ele próprio assumiu que os 3 (três) seguranças que asseguravam (?) a guarda da zona já não o conseguiam fazer, temendo pela sua própria integridade física e a rede protectora inclusivé já estava danificada por terceiros, "pelo que assim foi muito melhor, poupou-se dinheiro e até se aproveitou o que restava da rede".
Poupou-se cerca de € 10.000 mensais ao erário público, numa zona que a breve trecho dará origem a mais um empreendimento.
Pergunto: Se nem com os seguranças (3) e com a rede (que havia de ter algo de dissuasor, digo eu) a Câmara Municipal mantinha a segurança na zona, defendendo o seu património e a integridade física dos residentes, abandonando o local (que recorde-se apenas fica inseguro porque deixa instalações degradadas e óptimas para actividades ilícitas), quem se responsabiliza se durante este hiato de tempo acontecer ali alguma tragédia?
Por outro lado ficámos todos a saber como a Câmara reage quando se sente ameaçada em vez de reforçar a segurança, articulando com as forças de segurança pública e garantindo aos seus munícipes algum conforto, abandona-os e deixa-os à mercê, sabe-se lá de quê.
Saber até se sabe, ora veja-se a última edição do "Comércio do Seixal" que ilustra bem o que estou a dizer e desmente muitas intervenções que ouvi naquela Assembleia Municipal

7 comentários:

Anónimo disse...

As alegações do Vereador Carlos Mateus dão-me vómitos. Será que vamos ter de levar com gente desta por muitos mais anos? O homem é passado. Ninguém no seu perfeito juizo diria semelhantes baboseiras. Mas neste concelho vale tudo em nome da poupança? É o abandono do erário público - Fogueteiro é o mamdar arrancAR A RELVA E AS PLANTAS MESMO DEPOIS DE COLOCADAS AOS URBANIZADORES E COLOCAR PEDRA PARA A CAMARA NÃO GASTAR DINHEIRO NA MANUTENÇÃO E CADA VEZ FICAMOS COM MENOS ZONAS VERDES. Com tanta poupança para onde vai o dinheiro? Para o boletim municipal, para a propaganda? A população prefere e exige que o dinheiro seja gasto na defesa do bem público e na defesa do meio ambiente em espaçoa verdes e tratados e bens públicos preservados porque são de todos. Obrigado Paulo Edson Cunha Esta gente precisa fazer um electro encefalograma porque os fios devem estar trocados na cabeça. ininputáveis, perturbados. Chega!

hkt disse...

Dr. Paulo Cunha, deveria saber que "dar a mão à palmatória" e reconhecer um erro, um simples lapso ou, fazer um singelo agradecimento não são práticas correntes deste executivo do nosso descontntamento. Acreditar nisso é quase tão espantoso como acreditar no Pai Natal!!!!

Paulo Edson Cunha disse...

Pois, mas eu à minha maneira quero continuar a acreditar no Pai Natal.
Enquanto o fizer sonho e, como dizia o poeta "eles não sabem que o sonho, o sonho comanda a vida..."
Por outro lado, penso que temos condições de obrigar a Câmara a assumir que errou. Vai custar, mas vamos consegui-lo.
Por exemplo nesta A.M. já assumiram que deviam ao PSD uma resposta em relação a um requerimento sobre o Sapal de Corroios. mas a seu tempo conto-vos mais essa preciosidade.

Velas do Tejo disse...

Mas isto até me parece muito bom sinal... quer dizer que se ameaçarem os paços dos concelho, aquela gente acobarda-se e abandona tudo aquilo.

Ponto Verde disse...

O senhor Mateus assumiu, e bem o seu Princípio de Peter , só que assim sendo, um tostão que seja (sim, um tostão dos antigos) aplicado a remunerar o senhor Mateus, é um defraudar dos cofres do Minicípio, porque o Senhor Mateus não faz o que lhe compete e ainda por cima divulga a sua incompetência.
Tenha um momento de autoanálise e demita-se senhor Mateus!

Jorge Pieta disse...

E por falar em Paços do Concelho... o que vai acontecer em 2009 quando da mudança para o novo edificio ? o Seixal vai virar ainda mais "cidade fantasma" ´do que já é? e o comercio local?

Velas do Tejo disse...

Sempre que me lembro da saída da CMS do Seixal, vem-me à cabeça a imagem dos desenhos animados ou dos filmes sobre o deserto americano, onde os rolos de palha circulam ao sabor do vento pelas ruas... no nosso caso, e atendendo ao esforço que estes senhores têm feito para atrair determinado tipo de população, será mais um cenário de coboiada... assim com tiros e tudo!