terça-feira, abril 17, 2007

O Artolas

Estou em condições de dizer que o nosso primeiro não nos mentiu. Pelo menos não teve essa intenção. Ele apenas se antecipou à sua vontade. Explico melhor. Em 1993, portanto três anos antes de se ter licenciado (???) em engenharia pela famosíssima Universidade Independente, o então deputado, jovem imberbe conforme todos tivemos a oportunidade de televisionar por estes dias, indicou aos serviços da Assembleia da República que era licenciado em Engenharia. Mentiu?? Claro que não!!! Apenas se antecipou no tempo.
Ele bem sabia que havia de acabar o curso. Pudera!!! Com um professor amigalhaço a dar quatro das cinco cadeiras que faltavam e um reitor, não menos amigo a dar uma cadeira do primeiro ano e que até afirmou que não tinha mal nenhum fazer um exame a um domingo e em casa do próprio reitor, quem não seria capaz de antecipar, com toda a certeza, que acabaria o curso?

O nosso primeiro fê-lo e fez muito bem. Afinal de contas, coitado do homem, apenas se auto-intitulou de algo que veio mesmo a acontecer. Seguindo o mesmo raciocínio, também não acho mal que o nosso primeiro se auto-intitule de engenheiro, mesmo sem estar habilitado pela Ordem dos Engenheiros. Ele não sabe quando, mas um dia ainda há-de ser engenheiro a sério. Penso mesmo que com as trapalhadas todas em que está envolvido, talvez quando for corrido da governação deste pequeno e belo País à beira-mar plantado, ele tenha mais tempo para se dedicar a inscrever-se na Ordem dos Engenheiros e a terminar as suas habilitações. Na altura poderá também aproveitar terminar o MBA (parece que afinal era apenas um cursozeco) que também erradamente disse possuir, mas que apressadamente alterou do seu curriculum, publicado na sua página oficial.

Aliás com o grau de suspeição que impende sobre o senhor, temos mesmo dúvidas se o José se chama mesmo José, se foi casado ou não, se tem dois filhos e só sabemos mesmo que ele é primeiro-ministro porque não foi ele a dizer-nos, senão…

Ao contrário dos socialistas que pensam tratar-se de uma cabala contra o nosso primeiro eu penso o contrário: isto foi tudo inventado por eles para não se falar no desemprego, na co-incineração, na Ota (recordo-vos que também aqui o governo escondeu na gaveta um relatório comprometedor, o que nos deve, no mínimo, deixar a pensar sobre a sua postura moral e a reincidência), nos encerramentos dos SAP´s ao arrepio das legítimas expectativas dos cidadãos residentes nos locais onde estes serão encerrados, das taxas moderadoras que entraram em vigor este mês, do sucessivo agravamento dos impostos e da criação de uns quantos, do relatório do tribunal de contas altamente comprometedor para o governo, pois põe a nu que o governo anda a pedir imensos sacrifícios aos Portugueses e depois internamente não tem qualquer rigor, contratando indiscriminadamente assessores e mais assessores, sabe-se lá porquê…

Nós já sabíamos que o nosso primeiro é um excelente manipulador de massas, não sabíamos é que era tão bom…assim, logo à noite, quando for entrevistado pela RTP1 (por coincidência, o canal do estado) em vez de ter de responder sobre todas as maldades que anda a fazer ao País, estará hora e meia apenas a responder sobre o seu curriculum académico, quem sabe, fazendo-se de vítima. Brilhante José!!!


Paulo Edson Cunha - 11-04-2007 in "Setúbal na Rede"

4 comentários:

Anónimo disse...

muito bem. "Na Mouche"

Anónimo disse...

muito bem. "na mouche"

Anónimo disse...

muito bem. o socrates é um aldrabão.

hkt disse...

Pena que Vasco Santana não possa protagonizar este estudante "enginheiria"... pena que este "engº" não se dedique ao fado em vez de se dedicar à política...

Depois desta trafulhice toda, Borat vai "nacionalizar-se" português!!

Este "drama do largo do Rato" é de morrer a rir. Pena que não seja ficção.
O seu artigo é mais uma prova de vitalidade da blogosfera