quinta-feira, janeiro 07, 2010

Mais uma estrela no céu

Se é leitor habitual deste espaço e vem à procura da próxima trica política, da moção, da posição do vereador ou do presidente do PSD/Seixal então peço-lhe o favor de não perder tempo com este post.
Amanhã, com a "cabeça limpa" prometo voltar aos temas que procura.

Hoje estou a escrever para o Carlos, sei que ele me está a ver a fazer este texto. Sei que ele vai ler. Sei que ele vai sentir cada lágrima que derramo por ele. Na vida deixamos poucos amigos. Às vezes, como é o caso, nem somos amigos desde pequenos. Nem sequer nos falávamos frequentemente. mas somos amigos...

Carlos, recebi um e-mail teu este natal, respondi  também por e-mail. Não tivémos, nem tu nem eu a decência de nos despedirmos e eu agradeço-te e aos Deuses por isso. Não saberia o que te dizer...

Carlos, domingo após domingo, ano após ano, lá estávamos no "Barracão" do Alfeite, tu, eu o Xinês, o Crespo, o Avançado, o Augusto, o Melo, o teu irmão, o teu primo e outros, a corrermos... a jogarmos, a vivermos...

Carlos, lembras-te?, quase sempre jogavas na minha equipa, porque éramos amigos, porque nos compreendíamos. Tu, mais do que os outros tinhas paciência para  a minha impaciência, tu rias-te de quando eu te perguntava se tinhas tido uma paragem cerebral a meio da jogada e, tu, Carlos, ainda justificavas. Justificavas sempre e depois eras sempre o meu companheiro da imperial ao fim das mais de 3 horas que os nossos intermináveis jogos duravam. Ríamos com isso. Os profissionais bebem água. Nós não éramos profissionais, não era o que respondias?

Aí Carlos, falávamos da vida, das mulheres, do nosso Benfica, das jogadas, jogadas entre amigos, Carlos, falávamos da vida...

Carlos, não te perdoo não compareceres nunca mais  ao nosso jogo.

Carlos, desde que foste para Leiria quase só nos víamos quando nos encontrávamos no final dos jogos do Benfica e aí tu "desancavas" na nossa equipa e eu, mais tolerante, explicava-te que mesmo que tivésses razão, um benfiquiasta nunca fala mal da sua equipa. E este ano, com este super-Benfica, quis o destino que não falássemos dele. Que não nos tivéssemos visto. Que não brindássemos aos golos do Saviola, do Cardoso, da "Maria Amélia" (Nuno Gomes)...

Carlos, pagava-te uma imperial e uma bifana, lembrava-te os nossos desafios dos tempos do Alfeite e perdíamo-nos a falar sobre a vida...

Carlos,  vais faltar ao próximo jogo do Estádio da Luz. Não te perdoo.

Estava a atender um cliente, o visor do monitor piscou a indicar uma mensagem, olhei despreocupadamente, pensando até ser um comentário para o blogue. Haveria tempo de o colocar, mas a mensagem fez-me estremecer...

Carlos, não tinhas o direito de nos deixar... és muito novo para morrer.

Carlos, eu não deixo. Viverás para sempre no meu coração. Continuaremos a falar das mulheres, continuaremos a beber aquela imperial geladinha e a lembrar os nossos domingos no Alfeite, onde éramos irmãos.

Continuaremos a ir ao benfica, continuarei a contar-te as minhas desventuras políticas. Continuarás a falar-me de Chaves, do trabalho, de política, da vida... mas não permitirei que deixes este mundo...

O mundo sem ti ficará mais pobre...

Uma coisa é certo... esta noite nasceu mais uma estrela no céu!

Desculpa, Carlos, mas tal como no campo, onde nem sempre o passe saía perfeito, não sei fazer melhor. Não consigo fazer melhor, mas tu mereces muito mais. Esta foi a homengaem que te consegui fazer..





Nota: Neste post não aceitarei qualquer comentário de índole política. O Carlos  será enterrado amanhã em Chaves, sua terra natal.

À sua família, em especial ao irmão Luís e ao primo Zeca, também meus amigos do futebol, as minhas sinceras condolências

11 comentários:

Xana disse...

Sem dúvida uma Grande Estrela
Um Coração do tamanho do Mundo
e como alguém me disse ontem
"O Carlos é um Homem muito bonito por dentro"

Patrícia disse...

Sentimos sempre uma tristeza imensa quando perdemos alguem que teve algum significado na nossa vida. O pouco que convivi com o Carlos foi o suficiente para ocupar um espacinho no meu coração e recordá-lo para sempre, e é isso que demonstra a sua Grandeza.
Envio as minhas sentidas condolências à Família e Amigos.

Carmo disse...

Paulo, hoje fez-me chorar.
E fez-me pensar que uma morte, além da dor, serve ainda para outra coisa: para pensarmos mais afincadamente nos que ainda nos rodeiam.
A dor não passará, mas o tempo a fará diminuir.
Os meus pêsames.

Carmo disse...

Paulo, hoje fez-me chorar.
E fez-me pensar que uma morte, além da dor, serve ainda para outra coisa: para pensarmos mais afincadamente nos que ainda nos rodeiam.
A dor não passará, mas o tempo a fará diminuir.
Os meus pêsames.

Rui Grumete disse...

"AMIGO, vais continuar sempre a beber comigo o sumo de limão no coração latino"
Nunca pensei conhecer a tua linda aldeia desta forma...tão longe e tão perto...
UM GRANDE ABRAÇO DESTE TEU AMIGO ....

Anónimo disse...

Carlos!!!
Contigo aprendi que ainda existem homens bons, de coração aberto e puro.
Foste um dos homens mais bonitos que conheci e estou a falar da beleza vinda de dentro.
Que bom que os nossos caminhos se cruzaram através das danças.
Até sempre e até um dia certamente

Pedro disse...

Sem dúvida, o melhor tio que alguém pode ter. Um segundo pai que se torna oficialmente um anjo.

Obrigado pelas vossas palavras. :')

cris disse...

Para sempre...querido Amigo...

Será que nesta vida damos valor ao que verdadeiramente devemos dar ?!

Na passada semana acabei o ano a refilar porque em minha casa avariou tudo, desde a televisão, ao frigorifico, à aspiração central, à máquina de lavar loiça… até o disco do meu pc foi ao ar…podem crer é daquelas sensações de que o ano não está a acabar bem…e barafustamos e fazemos desejos para que o novo ano seja melhor.

Longe de pensar que afinal tudo aquilo era insignificante e que estava prestes a perder alguém verdadeiramente importante, o meu amigo querido: O Carlitos.

Não há nada mais importante no Universo do que um Bom Amigo e podem crer que esta foi a melhor pessoa que conheci até hoje. Sei que todos os amigos da empresa e os amigos da Dança têm o Carlos no coração para sempre.

Não há Ser Humano que conheça que reúna tantas qualidades como ele. E olhem que não é opinião minha mas de todos aqueles que o conheceram de perto. Se há alguém que tinha a porta do Céu aberta era ele e acredito que foi direitinho para a LUZ.

Nunca pensei conhecer a bonita aldeia do Carlos, Sanjurges em Chaves, desta maneira, mas houve algo que a irmã Otília me disse nos olhos e que me tocou profundamente: “- Ele era muito muito Feliz na Marinha Grande”.
Gostava de partilhar e transmitir esta frase a todos aqueles que o conheceram aqui na Marinha e dizer-vos com toda a certeza: Ele era Muito Feliz junto de nós. E ficará connosco no coração para todo o sempre.
Recordemos as risadas, as piadas certeiras e inesperadas, a pessoa responsável, certinha, o excelente dançarino… e acima de tudo o Amigo Eterno.

Este Mundo ficou muito mais pobre sem ti. Todos nós ficámos.

Carlos, assim como as estrelas que há muito desapareceram continuam a brilhar no Céu, assim será a tua memória no coração de todos aqueles que te conheceram.

Cristina Simões - Marinha Grande

tila disse...

amigos:

ainda sem palavras, deixo-vos o mais apertado e sentido abraço.

o NOSSO Carlos gostaria que continuássemos bem e felizes.

ele, que é o exemplo de alguém que levou a vida COM SENTIDO e HUMANIDADE.

e é deste modo que o meu (hu)mano muito muito QUERIDO permanecerá comigo, e certamente convosco, para SEMPRE, como um ANJO luminoso, constante e insubstituível.

Rui Grumete disse...

O mundo é tão grande e tão pequeno....
Ontem parei numa estação de serviço para lavar o carro em Carvide,perto de Vieira de leiria, onde também estava um senhor para o mesmo efeito.Palavra puxa palavra e sem nos conhecermos a conversa acabou falando do nosso QUERIDO CARLITOS...das boas referências familiares com quem o senhor teve o prazer de falar, etc.
Este senhor é o proprietário do apartamento onde residia o nosso AMIGO.
Sem dúvida que nunca te esquecerei AMIGO.......

luky wolf disse...

Carlos, querido e grande Amigo..., palavras para quê...? Já foi tudo dito... Mas, mesmo assim, "tudo" é tão pouco para descrever aquilo que eras (e serás sempre) para todos nós, aqueles a quem deste a honra da tua Amizade...
Na verdade, neste preciso momento não sei se escrevo para eles (todos os teu Amigos), se para ti... Mas uma coisa eu sei..., e disso tenho a certeza...:
Partiste fisicamente caro Companheiro, mas, estarás indubitavelmente para sempre junto de todos nós...!!!
Um grande abraço para ti, aí onde te encontras e outro para todos os teus Familiares e Amigos!
Luky W. Pedro.